Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O PS merece ter maioria absoluta nas eleições legislativas?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 70 Director: Mário Lopes Domingo, 27 de Agosto de 2006
Luísa Moreira
Um tiro no pé

  Frequento a praia do Baleal há cerca de 20 anos. Assisti com agrado a muitos melhoramentos realizados nos últimos anos e cada vez gosto mais de aí passar os meus tempos livres com a minha família.

É na qualidade de utente que venho apresentar a minha indignação a propósito da forma como foram instaladas as barracas naquela praia (quero sublinhar que nada tenho contra as existência de barracas na praia).

Percorrendo a estrada que conduz à ilha do Baleal foi erguida de ambos os lados uma barreira compacta de barracas paralela à linha de água. É um muro que ali está, e é uma tristeza ver aquela linda praia assim desfigurada. Existe agora uma zona de praia (onde o banhista vê o mar ) e uma zona de areia, uma “grande zona de traseiras ” feia e desorganizada.

 Sei que os concessionários da praia têm encargos com a limpeza e manutenção da mesma ( já agora parabéns pela ideia dos cinzeiros e novos caixotes do lixo) mas o resultado daquilo que foi feito neste caso, é desastroso para a praia e para a maioria dos utentes.

É difícil acreditar que o  concessionário não se tenha dado conta do impacto de tal barreira. Se não tivesse, teria colocado duas ou três fileiras de barracas de frente para o mar, umas em frente às outras. Mas não o fez porque desse modo ninguém ía querer ficar na fila de trás. Assim colocou as barracas da frente perpendiculares à água. PARA QUE TODOS OS SEUS CIENTES POSSAM VER A PRAIA. É evidente que se preocupou com os seus clientes mas não teve a mesma preocupação em relação a todos os outros utentes.

O que me surpreende e revolta é que as autoridades públicas a quem compete zelar pela qualidade das praias, não tenham tido o cuidado de zelar para que estas modificações tenham o mínimo de impacto negativo. Pelas necessidades de todos e não só de alguns, pela defesa do meio ambiente, da manutenção da beleza da paisagem, e tenham autorizado que isto acontecesse. E é esse o motivo que me levou a escrever este protesto e a enviá-lo a quem acredito ter poder de decisão nestes assuntos.

 Sugiro que as barracas sejam colocadas em filas perpendiculares à água, junto ao desnível do parque de estacionamento. Assim deixa de existir uma zona de traseiras. Quem fica atrás encontra-se num plano elevado e vê toda a praia, assim como todos aqueles que usarem aquele espaço concessionado. Da maneira como está, fica a sensação de agora é preciso pedir licença para entrar e usar metade da praia. Causa má impressão, provoca ressentimentos e mau estar, suscita o desejo de escolher outra praia.

 Mais adiante junto às torres do Baleal alguém fez uma tentativa envergonhada de salvaguardar a segurança dos peões no acesso à praia colocando barreiras de plástico para aí impedir o estacionamento.

Pois ninguém respeitou as barreiras. Nem os peões que não conseguiam andar por ali enterrados em areia, nem os automobilistas que de facto não tinham onde estacionar os automóveis e acabaram por invadir o dito espaço destinado aos peões.

Quero também nesta situação apresentar o meu protesto e dar o meu contributo na forma de sugestão:

É urgente construir estacionamentos e acessos condignos às praias desta zona.

Há que pensar no acesso das ambulâncias, da recolha de lixos, dos automóveis que vão deixar deficientes, idosos, equipamentos desportivos, bebés etc. na praia e depois não têm onde estacionar.

Basta uma faixa em cada sentido (para os automóveis que vão e os que voltam) e um passeio ao meio para quem decide ir a pé para a praia … uma calçada, banquinhos, sombras, caixotes para lixo. Num extremo a praia sem carros, no outro o parque de estacionamento devidamente organizado e delimitado de forma a que ninguém possa ser desculpado por invadir e destruir as dunas.

 Há ainda que pensar que não vai ser possível acomodar os milhares de turistas que auto-estrada vai trazer a Peniche nas poucas praias concessionadas e vigiadas que actualmente existem. Vai ser um caos e neste caso a construção da auto-estrada equivale a dar um tiro no próprio pé.

Se esses estacionamentos e acessos existirem em maior número poderemos acolher em condições de qualidade todos os turistas que pretendem conhecer e frequentar a mais bela praia da terra portuguesa (foi para isso que se construiu a auto-estrada creio eu).

 Podem ainda criar-se mais apoios de praia, mais empregos, e se tudo for bem doseado protege-se o ambiente e desenvolve-se o turismo de qualidade. É isso que todos queremos não é?

         Luísa Moreira

27-08-2006
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
O raio
Elsa Proença
O Ordenamento do Território e a Protecção da Natureza
Eugénio Sequeira
Líbano: Uma Guerra sem Solução?
Paulo Batista Santos
O 150º aniversário do nascimento de Marcelino Mesquita
Paulo Caldas
Líbano
Ricardo Miguel
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o