Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem é responsável pelo conflito entre os motoristas e as empresas transportadoras?
Os motoristas
As empresas
O Governo
Outros
Não sei
Edição Nº 222 Director: Mário Lopes Domingo, 26 de Maio de 2019
Opinião
Sejamos um nadinha mais claros a propósito do admirável mundo novo (da esmagadora maioria) controlado pela IA
   
                Valdemar Rodrigues
Sejamos um nadinha mais claros a propósito do admirável mundo novo (da esmagadora maioria) controlado pela IA

... porque, para ser mais claro ainda, seria justo que alguém me pagasse para isso... (agora, por exemplo, enquanto escrevo isto, estou a atrasar o meu jantar, e eu, como sabem decerto, não sou Deus: também tenho de me alimentar, sob pena de entrar em fraqueza...).

   Primeiro uma gargalhada (que faz muito bem à saúde, asseguram os "espertos"): Ah ah ah ah... agora a ética está no algoritmo! ah ah ah ah ah... Nada de surpreendente porém; já temos há muito notícias, por exemplo, dos erros do sistema "inteligente" do fisco indígena. "Ele" comete-os, não é juridicamente imputável por eles, como parece aliás lógico (qualquer dia matava-se um gajo e dizia-se que a culpa era mesmo da pistola...), e quem se lixa é sempre o mexilhão.

   O mexilhão que, por exemplo, não tem acesso às subrotinas do algoritmo que permitem fazer DELETE ou FORGET nas dívidas fiscais, nem às que causam apagões fiscais do tipo "UNRECOVERABLE SYSTEM ERROR - ALL DATA HAS BEEN LOST" quando estão em causa quantias mais "volumosas", mais "suscetíveis" de embaraçar o pobre algoritmo. A questão tem tudo a ver com a focagem; de nada servem comissões de ética ou entidades reguladoras, generosamente pagas e publicitadas pelo estado, pela indústria (ou, o que é mais provável, por ambos), comissões e entidades que hão-de desdobrar e esmiuçar tanto os problemas e fazê-los tanto render até ao ponto em que se torna irreversível serem os mesmos de sempre a lixar-se, ou seja, a grande maioria que historicamente sustenta (a máquina) do estado e que paga a tais comissões e entidades.

    A questão é: qualquer actividade ou sistema controlado pela IA ou pela IoT deve ter três "botões" bem à vista: um que diga "UNDO" (com a possibilidade de "RESET"); outro que diga "MANUAL CONTROL" e outro que diga, simplesmente, "TURN-OFF" ou "SHUT DOWN". Ou seja, deve ser sempre, e em qualquer circunstância, possível ao utilizador, quando ele bem quiser, anular a decisão que a máquina ou sistema tomou por si; decidir por si tudo o que houver para decidir, sem qualquer excepção; em particular decidir contrariamente ou de modo diferente daquele que o algoritmo decidiu; e deve ainda ser possível ao mesmo utilizador, por decisão própria e não sujeita a qualquer tipo de condições, tipo autorização prévia ou inquérito, tomar as decisões que lhe aprouverem por si próprio, sem qualquer ajuda dos sistemas de IA ou IoT. Tudo o que seja que escape a alguma destas possibilidades de controlo será muito mau, pois ferirá de morte o histórico livre-arbítrio das pessoas.

    Curiosamente, não se ouve falar das primordiais questões que um "futuro" dominado pela IA levanta: as jurídicas, nomeadamente relativas à intencionalidade e responsabilidade dos sujeitos agentes pelas suas acções. Isso é, no mínimo, estranhíssimo.
 
    Valdemar Rodrigues 
26-05-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Sejamos um nadinha mais claros a propósito do admirável mundo novo (da esmagadora maioria) controlado pela IA
Valdemar Rodrigues
A regra é: mover-se mais e sentar-se menos
Dr. Pedro Marques da Silva
Opinião sobre temas da reunião de Câmara do Município de Alcobaça de 13/05/2019
Carlos Bonifácio
Filhos do Tabaco: Crianças condenam cada vez mais o ato de fumar
Drª Ana Raquel Marques
Hipertensão arterial: o que todos devemos saber
Dr. Fernando Pinto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o