Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O Governo deve tomar medidas mais enérgicas para conter a pandemia?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 238 Director: Mário Lopes Sábado, 7 de Novembro de 2020
Através do Ministério da Coesão Territorial
Centro recebe 25 milhões de euros para ampliar ou criar Áreas de Acolhimento Empresarial
  
        Área de Localização Empresarial de Valado dos Frades
O Ministério da Coesão Territorial disponibilizou 25.5 milhões de euros dos Programas Operacionais Regionais para investimento na expansão e aumento da capacidade ou criação de novas Áreas de Acolhimento Empresarial.

   As verbas serão distribuídas pela Região Norte (12 milhões de euros, com um aviso de 6 milhões de euros exclusivamente para territórios do Interior), pela Região Centro (com 10 milhões de euros de dotação) e pela Região do Alentejo (com 3.5 milhões de euros).

   Em regra, só serão apoiados municípios que comprovem uma elevada taxa de compromisso dos seus lotes industriais. Por outro lado, os atuais avisos permitem a requalificação de edifícios abandonados de antigas fábricas, dando oportunidade às empresas de se instalarem sem a necessidade de construírem novos edifícios.

    O atual financiamento vai ainda suportar despesas com estudos e projetos, com a aquisição de terrenos, trabalhos de construção civil, equipamentos, e infraestruturas físicas e tecnológicas, sistemas de informação e de comunicação de uso coletivo.

   As Áreas de Acolhimento Empresarial, afetas à instalação de atividades industriais, comerciais e de serviços, são estruturas vitais para o desenvolvimento das economias regionais, que contribuem para o aumento da competitividade das PME e potenciam economias de rede.

   Servem também para contrariar a fragmentação do tecido empresarial, para dinamizar a carteira de produtos e serviços, melhorar a organização e gestão das empresas e a sua inserção em redes de cooperação e conhecimento.

   Por ser um objetivo da política económica dinamizar as exportações e o aumento do respetivo peso no PIB, estas estruturas são fundamentais para que as regiões se afirmem no setor da internacionalização.

    Esta medida insere-se no objetivo mais amplo de promover uma justa e equilibrada dinamização dos vários territórios, criando riqueza e emprego, tentando em simultâneo reduzir as assimetrias entre as regiões.

    Fonte: MCT
07-11-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Proteja-se da COVID-19. Proteja-se da pneumonia
Dr. Paulo Paixão
Iluminação do Parque Verde, passadiços na Baia de S. Martinho do Porto e lotes para habitação
Carlos Bonifácio
Viver com a demência em tempos de COVID: conselhos para quem cuida
Teresa Castanho
Diabetes: um inimigo silencioso
Dr. Manuel Portela
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o