Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Como classifica o nível da pandemia em Portugal?
Normal que haja surtos pontuais
Anormal e a culpa é do Governo
Anormal e a culpa é do comportamento das pessoas
Não sei
Edição Nº 228 Director: Mário Lopes Quinta, 9 de Janeiro de 2020
Com a contratação de mais quatro pediatras
Urgência Pediátrica do Hospital de Torres Vedras já não vai encerrar
  
                                   Elsa Baião e Carlos Bernardes
Na sequência das perturbações que têm vindo a afetar o normal funcionamento da urgência pediátrica do Hospital de Torres Vedras, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, garantiu, esta quarta-feira, 8 de janeiro, que o serviço não irá encerrar. “As soluções estão encontradas e passam, essencialmente, por podermos garantir a permanência do serviço de pediatria em Torres Vedras e as urgências da pediatria a funcionar 24 sobre 24 horas, 365 dias no ano”, adiantou, acrescentando que o funcionamento desses serviços será garantido por profissionais daquela unidade de saúde e por prestadores de serviços.

   “Foi o primeiro passo”, afirmou Carlos Bernardes sobre as soluções encontradas na reunião com o Ministério da Saúde e o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), que decorreu na manhã de quarta-feira. “Foi encontrada uma solução negocial de escalas com os médicos pediatras da unidade de Torres Vedras e com os respetivos prestadores de serviços” acrescentou. O “segundo passo” consiste no compromisso assumido pelo Ministério da Saúde em torno da abertura do concurso para quatro médicos pediatras para esta unidade, que deverá avançar entre março e abril.

   O presidente da Câmara destacou o trabalho desenvolvido com o CHO ao longo das últimas duas semanas e deixou “uma palavra de agradecimento à direção clínica e aos profissionais, desde médicos até assistentes operacionais, pelo trabalho que têm vindo a desenvolver e, especialmente, a toda a equipa do Hospital de Torres Vedras.”

   Reafirmando o objetivo de encontrar soluções para que a população tenha acesso a “melhores condições” e “serviços de excelência”, o autarca reafirmou que se encontra a ser desenvolvido um protocolo de cooperação a estabelecer entre o Município, o CHO e o Ministério da Saúde que visa várias dimensões do serviço hospitalar. “Vamos melhorar as instalações e trabalhar para ter um quadro de serviço mais alargado em alguns domínios”, avançou. Além de procurar tornar o Hospital mais atrativo para os profissionais de saúde, o documento irá consignar a reativação de uma unidade de internamento pediátrico em Torres Vedras.

   A minuta de protocolo será levada à reunião de Câmara extraordinária marcada para a próxima quarta-feira, podendo seguir, no mesmo dia, para discussão em sede de Assembleia Municipal extraordinária, convocada para discutir a “situação hospitalar em Torres Vedras”. Um trabalho que levou Carlos Bernardes a destacar a importância de encontrar uma plataforma “sólida, robusta, em defesa do Serviço Nacional de Saúde.”

   Serviço de portas abertas

    Elsa Baião, presidente do Conselho de Administração do CHO, salientou o esforço “muito intenso” para garantir que o serviço se mantinha aberto e afirmou que a escala da urgência pediátrica se encontra completa até ao final deste mês. “A situação está controlada e queremos que assim seja também no futuro” avançou.
A responsável sublinhou, no entanto, que se encontra a ser delineado um plano de revitalização do serviço, que pretende atrair novos profissionais e reter os profissionais que, atualmente, ali desempenham funções. “Queremos que a população volte a ganhar confiança neste serviço” disse, complementando: “Estamos a desenvolver todos os esforços para recuperar essa confiança, a curto e longo prazo.”

   Recorde-se que as perturbações na urgência pediátrica do Hospital de Torres Vedras levaram ao fecho daquele serviço no dia 31 de dezembro, situação que se voltou a repetir na semana passada, assim como na noite da passada terça-feira.
Esta terça-feira, Carlos Bernardes esteve reunido com o Executivo Municipal, o presidente da Assembleia Municipal, a Comissão Permanente de Saúde da Assembleia Municipal e o Conselho de Administração do CHO, com o objetivo de criar uma plataforma de entendimento relativamente à atual situação da urgência pediátrica.

   “Conseguimos estabelecer um consenso político. As questões da saúde não são bandeiras de qualquer partido. São, acima de tudo, a salvaguarda dos interesses das nossas populações”, afirmou na conferência de imprensa que se seguiu à reunião.
Depois de recordar que “os municípios não têm responsabilidade direta no que diz respeito à saúde hospitalar, essa cabe ao Ministério da Saúde”, o autarca destacou que “no nosso ato de voluntarismo, de responsabilidade, de eleitos, somos os principais defensores das nossas populações.”

    Já esta quarta-feira, Carlos Bernardes esteve reunido com o secretário de Estado da Saúde, António Sales, e com o Conselho de Administração do CHO, onde foi possível encontrar soluções que permitem garantir a continuidade da urgência pediátrica do Hospital de Torres Vedras.
 
    Fonte: AC|CMTV
09-01-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Casino Online continua a evoluir com a chegada de um novo operador a Portugal
Só a CDU votou contra os Orçamentos 2020 da Câmara e dos Serviços Municipalizados de Alcobaça
Por Luís Crisóstomo e Clementina Henriques
Centro de Negócios de Alcobaça, Feira de São Bernardo e delimitação das novas ARU
Carlos Bonifácio
Mulheres portuguesas, por quem os sinos dobram
Joaquim Vitorino
Miguel Paulo: “É preciso voltar a página no PS em Rio Maior"
Miguel Paulo
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o