Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Leiria tem condições para ser Capital Europeia da Cultura?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 215 Director: Mário Lopes Quinta, 8 de Novembro de 2018
Alcobaça assume-se como capital da doçaria conventual
Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça celebra 20 anos
  
        Celso Matos, Inês Silva, Paulo Inácio e Ana Pagará
A XX Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais vai realizar-se de 15 a 18 de novembro, no Mosteiro de Alcobaça. Uma edição que reflete a adesão crescente das pastelarias locais à doçaria conventual, que têm vindo a aprimorar as suas técnicas e a recuperar receitas antigas, estando previstos um recorde de 12 representantes de Alcobaça em 2018. De Portugal, mas também da Bélgica, Espanha e França virão as 17 delegações convidadas, a maioria repetentes, por reconhecerem na Mostra de Alcobaça uma importância única no panorama da doçaria nacional.

   O programa foi apresentado no dia 30 de outubro, com a presença de Paulo Inácio e Inês Silva, presidente e vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio e Inês Silva, da diretora do Mosteiro de Alcobaça, Ana Pagará, e do gestor da empresa Ateliê Ocubo, Celso Matos.

   Este ano, regressa o grandioso espetáculo de vídeomapping, projetado na fachada do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça – a maior do País - uma vez mais a cargo do Ateliê Ocubo, sendo o tema desta edição a doçaria conventual. As sessões ocorrerão nas noites de quinta-feira, sexta-feira e sábado, às 20, 21, 22 e 23 horas. De referir que este espetáculo contará com a colaboração das Academias de Música e Dança de Alcobaça e da Sociedade Filarmónica Vestiariense "Monsenhor José Cacella", apresentando esta última algumas composições originais.

   A animação musical estará a cargo do Coro da Banda de Alcobaça, Coro São Bernardo, Coro Misto da Universidade de Coimbra, Grupo Coral S.A.M.C e Grupo Coral Calçada Romana. A companhia XPTO fará animação de rua, com diversos números circenses.

   As ordens religiosas terão nesta edição quatro representantes: Monjas Cistercienses de São Bento da Porta Aberta - Rio Caldo – Portugal (Ordem de Cister), Monasterio de Santa María de Sobrado - Galiza – Espanha (Ordem de Cister), Mosteiro do Santíssimo Sacramento do Louriçal - Portugal (Ordem de Santa Clara) e Mosteiro de São Bento de Singeverga - Portugal (Ordem de São Bento).

   De referir que, no último dia do certame, 18 de novembro, a TVI assegurará a cobertura televisiva da Mostra com o programa “Somos Portugal.”

   O orçamento desta XX Mostra de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça ascende a 125 mil euros, dos quais 75 mil referentes ao espetáculo de videomapping. Paulo Inácio admire tratar-se de um espetáculo caro, mas justifica a sua contratação por este ano ser comparticipado por fundos comunitários e por se tratar de uma edição especial, a vigésima.

   Alcobaça | Cidade dos Doces Conventuais

   A Mostra Internacional de Doces e Licores, ancorada na identidade territorial dos produtos endógenos de Alcobaça, provou, nestes últimos 20 anos, ser capaz de gerar dinâmicas positivas na região pela sua qualidade, identidade e originalidade.

   A Doçaria Conventual de Alcobaça, legado dos Monges e das Monjas de Cister, senhores dos antigos Coutos de Alcobaça que, em cerca de oito séculos de permanência na região, deixaram na nossa memória a dedicação à terra, à arte, à agricultura e também à doçaria conventual. São famosas as cornucópias, o Pão-de-Ló de Alfeizerão, as trouxas-de-ovos, o licor de ginja de Alcobaça, entre muitas outras iguarias.
A Mostra decorre em pleno Mosteiro de Alcobaça, eleito pela UNESCO Património da Humanidade e uma das Sete Maravilhas de Portugal.
Perca-se por Alcobaça, de 15 a 18 de novembro, no evento mais doce do ano!!

   Doçaria Conventual - muitos ovos, açúcar e amêndoas



                         Cartaz
A doçaria conventual portuguesa tem origem nos seus conventos e mosteiros. Uma tradição com muitos séculos de história, e de histórias secretas, que saíram das cozinhas conventuais, pelas mãos de monges e monjas, local de devoção onde foram criados doces verdadeiramente divinais. Os ingredientes principais desta doçaria requintada, feita de amor, dedicação e muita paciência, são as gemas, o açúcar e as amêndoas.
Os doces conventuais estavam presentes nas refeições, por vezes parcas, por vezes faustosas, que eram servidas nos conventos e, os muito apreciados licores, destilados a partir de bagas e de várias plantas, eram usados para fins medicinais.

Foi a partir do século XV, com a expansão do comércio do açúcar, que os doces atingiram maior notoriedade. Com a chegada em larga escala do açúcar, das antigas colónias portuguesas, a inspiração dos monges e das monjas juntou o açúcar com as gemas iniciando aquilo que hoje se denomina de Doçaria Conventual. O açúcar possibilitava obter vários pontos de calda e as mãos sábias dos que o trabalhavam pacientemente, durante largas horas de experiências, perceberam que os pontos de calda também permitiam a conservação dos doces durante muitos dias.

Os nomes dos doces conventuais derivam naturalmente da cultura católica e da vida monástica: são as “barrigas de freira”, os “papos de anjo”, o “toucinho-do-céu”, nomes celestiais que tão bem conhecemos.
No Mosteiro de Alcobaça, de 15 a 18 de novembro, pode degustar o melhor do receituário conventual não só de Alcobaça mas, também, de outros mosteiros, conventos e pastelarias, nacionais e internacionais.

   “Uma História Doce” | Vídeo Mapping Monumental, alusivo aos 20 anos da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais, na Fachada do Mosteiro de Alcobaça


Para a celebração da vigésima edição da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais, o Mosteiro de Alcobaça irá receber um vídeo mapping monumental que irá dar vida, cor e animação ao transformar os 200 metros da sua fachada histórica num livro de receitas encantado.

Um espetáculo que conta com a colaboração da comunidade alcobacense através da Academia de Dança de Alcobaça e da Sociedade Filarmónica Vestiariense “Monsenhor José Cacella”, resultante de filmagens realizadas pelo ateliê OCUBO no Cine-Teatro João D’Oliva Monteiro.

Neste livro mágico, enriquecido com património artístico e gastronómico dos Mosteiros de Coz e de Alcobaça, os ingredientes e utensílios ganham vida através dos movimentos dos atores virtuais.

As monjas cistercienses vão-nos conduzir por este mundo mágico, num musical dinâmico e cheio de vida que irá contar como se confecionavam as receitas conventuais mais conhecidas de Alcobaça. Nesta história estarão presentes igualmente os monges cistercienses que nos mostraram o cultivo e uso das ervas medicinais para os licores.

Para completar a nossa história doce, uma orquestra colorida vai representar os vários ingredientes das receitas que se misturam em animações divertidas e impactantes que irão enaltecer este monumento classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, destacando o seu património histórico e imaterial.

   Participantes Edição 2018

Nacionais


Alcobaça – A. Gerardo Unipessoal, Lda
Alcobaça – Abadia de Alcobaça
Alcobaça – Atelier do Doce
Alcobaça – Casa do Pão de Ló de Alfeizerão
Alcobaça – Casa dos Doces Conventuais
Alcobaça – Escola Profissional e de Desenvolvimento Rural de Cister (EPADRC)
Alcobaça – Licor de Ginja MSR
Alcobaça – Pastelaria Alcoa
Alcobaça – Quinta das Poesias
Alcobaça – Restaurante António Padeiro
Alcobaça – Restaurante Trindade
Alcobaça – Licores Abbatiale
Amarante – Brisa Doce
Arouca – Manuel Bastos
Aveiro – Ovos Moles de Aveiro
Beja – Maltesinhas
Braga – O Gigo
Caldas da Rainha – EHT OESTE (Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste – Turismo de Portugal)
Coimbra – Pastelaria Briosa
Évora – Confeitaria Conventus
Guimarães – Pastelaria Clarinha
Leiria – Padaria do Marquês
Lorvão – Pastelaria O Mosteiro
Madeira – Casa do Povo de Curral das Freiras
Ovar – Flôr de Liz
Portimão – A Casa da Isabel
Reguengos de Monsaraz – Paula Rosa - Doçaria Conventual Alentejana
Tentúgal – A Pousadinha
Vizela – Casa do Bolinhol - Kibom

Internacionais


Bélgica – Herkenrode – Abadia de Herkenrode
Espanha - Monasterio de Santa María de Sobrado
França – Comité de Jumelages d’Aubergenville

Ordens Religiosas


Ordem de Cister
Monjas Cistercienses de São Bento da Porta Aberta - Rio Caldo - Portugal
Monasterio de Santa María de Sobrado - Galiza - Espanha

Ordem de Santa Clara
Mosteiro do Santíssimo Sacramento do Louriçal - Portugal

Ordem de São Bento
Mosteiro de São Bento de Singeverga - Portugal

   Mário Lopes
(Com GRPP|CMA)
08-11-2018
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Pela Conclusão da IC3/A13
Tiago Carrão
Posição do CDS sobre os documentos previsionais do Municipio de Alcobaça para 2019
Carlos Bonifácio
A vacinação reduz o número de casos e de mortes por pneumonia
Dr. Vasco Barreto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o