Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O Governo deve fazer mais para combater as alterações climáticas?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 77 Director: Mário Lopes Quarta, 14 de Março de 2007
Depois do incêndio na histórica sala de Santarém
Movimento de Cidadãos Santarém 21 propõe reconstrução do Teatro Rosa Damasceno
     


A plateia do Teatro Rosa Damasceno
ficou no estado que a imagem documenta

O Movimento de Cidadãos “Santarém 21” manifestou, no dia 12 de Março, a sua indignação por as entidades responsáveis, nomeadamente o proprietário, a Protecção Civil da autarquia e o IPPAR, aparentemente não terem implementado medidas que impossibilitassem a entrada de intrusos no edifício do Teatro Rosa Damasceno, classificado de interesse público, com o fim de evitar que o mesmo fosse devassado ou vítima de um sinistro, como aconteceu na noite de 10 de Março. O movimento entende que após a extinção do fogo está na hora de serem tomadas medidas urgentes na salvaguarda das estruturas do edifício que resistiram ao incêndio, de modo a possibilitar a reconstrução do mesmo.

       Em comunicado assinado por Luís Cunha Romão, o Movimento de Cidadãos “Santarém 21” cita notícias publicadas na comunicação social de 11 do corrente, onde se refere que (…) “ há cerca de um mês tinha havido um pequeno foco de incêndio provocado por uma vela, colocada junto de papeis que se encontravam ao abandono”.

      O movimento lamenta que o Teatro Rosa Damasceno, com um passado riquíssimo na divulgação da Cultura, junto de muitas gerações da região de Santarém, localizado em zona nobre do centro histórico da cidade de Santarém tenha chegado “ao triste estado de completo abandono há muitos anos. Verdadeiramente “defunto” foi “cremado” na solidão da madrugada do passado sábado, na constrangedora “clandestinidade” em que se encontrava lançado.”

      “Ponhamos as mãos na consciência... nós os expectantes de uma ressurreição do Rosa Damasceno e o(s) eventual(ais) responsável(eis) por um hipotético fogo posto. Encontrava-se ostracizado, sobreveio-lhe a destruição porque ninguém atempadamente se interessou pelos despojos da sua história, ou teve forças para tanto, com vista à sua reabilitação para uma diversidade de usos, sem esquecer a cultura. Penitencie-se a displicente consciência de quem durante anos deixou o teatro arrastar-se no seu calvário, e podia ter evitado a sua morte. Nesta cidade em que durante anos apenas prosperou a construção civil, necessária mas, no seu portento, secante de outras perspectivas de vivência da urbe, a cultural (actualmente levada mais a sério), a patrimonial, a turística…”, refere o comunicado.

      O “Santarém 21” sublinha que resta como símbolo da cidade a praça de touros, embora esta também vá ser alienada para demolição depois de colocada há anos "fora de contexto", fazendo votos para que esta tenha um fim menos indigno, apesar de passar pela sua demolição. O movimento de cidadãos considera que “o deixar arrastar as situações até à fatalidade do facto consumado, não pode inocentar as consciências de quem podia alterar o devir, ou de quem muitas vezes por comodismo, não participa, numa atitude cívica, activamente em prol de um futuro melhor para Santarém.”

      Recorde-se que o “ Santarém 21”, no âmbito da sua actividade, dirigiu convites em Abril de 2005, ao presidente da Câmara e proprietário, para participarem num debate com a comunidade de Santarém, para debater o futuro do Teatro Rosa Damasceno. Os convites não foram aceites pelo facto de estar a ser discutida nos tribunais, a pretensão da Câmara de usar do direito de preferência, em face da venda do edifício pelo Clube de Santarém.
 
      Assim, o Movimento de Cidadãos “Santarém 21” entende que após a extinção do fogo está na hora de serem tomadas medidas urgentes, pelo que apela às entidades competentes para não se demitirem, na salvaguarda das estruturas do edifício do Teatro Rosa Damasceno que resistiram ao incêndio, de modo a possibilitar a reconstrução do mesmo, num futuro muito próximo.

    Confira aqui as imagens do incêndio:

 
14-03-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Salazar, fantasma do passado
por Henrique Tigo
Uma escultura que nasce arquitectura
Charters Monteiro
Museus de Futuro: Uma Visão sobre os Transgénicos
Valdemar Rodrigues
Perdemos uma batalha mas não perdemos a guerra
Mariana Mendia
Palavras Soltas
José Pires
Criação de incentivos aos casais para aumento da natalidade
João Paulo Pedrosa
O Mosteiro de Santa Maria da Vitória – Batalha
Júlio Órfão
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o