Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem é responsável pelo conflito entre os motoristas e as empresas transportadoras?
Os motoristas
As empresas
O Governo
Outros
Não sei
Edição Nº 221 Director: Mário Lopes Sábado, 11 de Maio de 2019
No concelho de Leiria estão identificados oito territórios vulneráveis
Leiria quer pôr em prática plano de adaptação às alterações climáticas
    
                                                 Largo da Sé
O presidente da Câmara Municipal de Leiria, Raul Castro, manifestou esta sexta-feira, 10 de maio, o desejo de colocar em prática as medidas de ação propostas no Plano Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas no sentido de tornar o concelho de Leiria mais resiliente e preparado para enfrentar as consequências do aquecimento global.
Raul Castro falava na sessão de abertura do seminário de apresentação final do Plano Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas no concelho de Leiria, que está decorrer no Estádio Municipal de Leiria.
 
    “Com este plano está dado o primeiro passo para afirmarmos Leiria como um concelho de vanguarda no que diz respeito à adaptação às alterações climáticas, mas este trabalho de nada valerá se não formos capazes de dar o passo seguinte, que é o mais importante, o de passar da teoria à prática”, disse o presidente da Câmara Municipal de Leiria, acrescentado que “no que diz respeito à salvaguarda do nosso território, vivemos um tempo em que não basta apregoar boas intenções duas ou três vezes por ano, quando se comemora o dia da árvore, da água, ou outra efeméride ambiental. Esta é uma luta diária”.
 
   Raul Castro realçou que no concelho de Leiria estão identificados oito territórios vulneráveis, para os quais foram delineadas mais de duas dezenas de medidas de ação, mais de uma centena de linhas de intervenção e mais de 50 ações prioritárias, que será necessário colocar em prática para inverter o “rumo de delapidação dos recursos naturais através de uma política de pequenos passos”, apelando à participação empenhada de todos.
 
   “Por si só, este Plano Municipal não resolve nada, mas constitui um mapa que nos pode conduzir num trabalho que não pode ser menorizado nem adiado”, disse, manifestando o propósito de dar início a um conjunto de ações planeadas de forma integrada, de forma a tornar o concelho mais resiliente às cada vez mais frequentes ameaças resultantes no aquecimento global.
 
   “Face à complexidade deste fenómeno e às consequências desastrosas que o aquecimento global pode ter no nosso futuro, é imperioso envolver o melhor da ciência no desenvolvimento de soluções que nos ajudem a reverter este processo”, disse, acrescentando que, para além das medidas a implementar, o mais importante dos trabalhos deve ser efetuado ao nível da educação e sensibilização.
 
    “Só teremos um futuro sustentável se alterarmos drasticamente a forma como delapidamos os recursos disponíveis, uma mudança que apenas será possível se começarmos desde já a educar os nossos filhos nesse sentido”, concluiu.

    O Plano
 
   O Plano Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas de Leiria foi desenhado tendo por base o conhecimento climático do concelho, nomeadamente da sua diversidade climática, a análise das vulnerabilidades atuais e futuras, a análise da vulnerabilidade territorial e a identificação dos territórios vulneráveis prioritários, de que resulta a definição de medidas de adaptação tanto de nível geral, setorial e territorial, como de carácter específico para os territórios vulneráveis prioritários.
 
   O PMAAC-L identifica as principais ameaças que o concelho enfrenta, como o aumento da média da temperatura do ar, a diminuição do nível de precipitação, em especial no Outono, Primavera e Verão com fenómenos extremos associados, e ainda secas mais frequentes e severas e subida do nível do mar.
 
  Neste documento foi desenvolvida uma visão adaptativa do concelho às alterações climáticas, foram definidos objetivos estratégicos e identificadas vulnerabilidades climáticas prioritárias.
 
  Participaram no processo os vários setores/parceiros do desenvolvimento local através da realização de workshops para disseminação de informação e recolha de contributos.
A partir da identificação e priorização das atuais vulnerabilidades e riscos climáticos e da sua projeção até ao final do século para o território concelhio, o município de Leiria dispõe assim de um conjunto integrado de opções para responder ao clima futuro.

 
    Fonte: GRPG|CML
11-05-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o