Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda com a exploração de lítio em Portugal?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 227 Director: Mário Lopes Terça, 3 de Dezembro de 2019
Presidente da Câmara de Leiria enviou segunda-feira uma carta ao ministro do Ambiente e da Ação Climática
Gonçalo Lopes pede ao Governo para travar exploração de gás na Bajouca
   
Presidente da Câmara de Leiria seguiu
   o exemplo do ministro do Ambiente
 que escreveu carta a Greta Thumberg
O presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, enviou esta segunda-feira, 2 de dezembro, uma carta ao ministro do Ambiente e da Ação Climática a pedir o resgate da concessão de exploração de gás natural na Bajouca.

   O envio desta missiva surge na sequência da carta que o ministro João Pedro Matos Fernandes enviou à jovem ativista Greta Thunberg, em que afirma que Portugal é um dos países europeus que mais sofre com as consequências das alterações climáticas.

   “Temos uma estratégia nacional ambiciosa de adaptação às alterações climáticas que temos seguido à risca porque, para Portugal, trata-se de um problema atual e não do futuro”, refere a carta redigida pelo ministro.

   O presidente da Câmara de Leiria considera que o Governo “deve aproveitar esta grande oportunidade para afirmar que não quer a exploração do gás e resgatar a concessão. Os custos desse resgate são reduzidos uma vez que ainda não foi feita prospeção”.

   “Portugal deseja, dentro de poucos anos, ser o primeiro país a alcançar a ambiciosa neutralidade carbónica. Mas essa meta, traçada para 2050, não é compatível com a existência de explorações de gás no nosso país”, defende Gonçalo Lopes, defendendo uma aposta nas energias de natureza renovável, como, de resto, está previsto nas linhas de apoio comunitárias.

   Na carta, o presidente da Câmara de Leiria deixa um convite ao governante para que visite a Bajouca, “que também é Europa e também quer continuar a ser verde”, recordando que a região de Leiria tem sido a mais atingida pelos fenómenos resultantes do aquecimento global: o avanço do mar na costa, em especial na Praia do Pedrógão em 2013; o trágico incêndio do Pinhal de Leiria em 15 de outubro de 2017; e a tempestade Leslie, que, dia 13 de outubro de 2018, deixou um profundo rasto de destruição nesta região.

   “O aquecimento global, um tema que se impõe na atualidade pelo seu impacto real, tem sido sentido de forma extrema em Leiria”, afirma Gonçalo Lopes, dando ainda conta de outros problemas ambientais com que esta região se confronta, nomeadamente a poluição da Bacia do Lis.

    No documento, o autarca leiriense realça ainda que o Município recorreu a especialistas e investigadores que são muito claros sobre esta matéria: “A exploração de gás na Bajouca, ou em qualquer ponto do país, não faz sentido para quem quer descarbonizar Portugal”.

    No documento, Gonçalo Lopes refe ainda que não se pode aceitar que seja feita qualquer sondagem na Bajouca, que não representa qualquer vantagem para o país, seja ambiental ou financeira.
 
    Fonte: GRPP|CML
03-12-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o