Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O Governo deve fazer mais para combater as alterações climáticas?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 228 Director: Mário Lopes Segunda, 6 de Janeiro de 2020
Na ligação entre a Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa
PCP questiona Governo sobre atrasos na CP nos descontos para novos passes do Oeste
   
                           Estação de São Martinho do Porto
O Grupo Parlamentar do PCP apresentou no dia 3 de janeiro, na Assembleia da República, uma Pergunta ao Ministro das Infraestruturas e Habitação sobre o já anunciado atraso na aplicação dos novos descontos no preço dos passes na Linha do Oeste, na ligação entre a Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa. Tal atraso contrasta com o que aconteceu com os operadores rodoviários cujos descontos vigoram desde 1 de Janeiro.

   Trata-se de uma situação que discrimina os utentes da Linha do Oeste, a exemplo do que aconteceu em 2019, em que os descontos na ferrovia só entraram em vigor em junho, enquanto que nas ligações rodoviárias em abril já estavam em vigor.

   No caso do transporte ferroviário, a Autoridade de Transportes é o próprio Governo pelo que o processo de aplicação dos novos preços dos passes deveria estar facilitado, devendo ficar desde logo garantida a compensação à CP pelos custos da redução das tarifas, daí que a situação que agora se verifica e que prejudica e discrimina os utentes da Linha do Oeste seja a todos os níveis inaceitável e incompreensível.

   Já em 2019, o PCP defendeu na Assembleia da República a articulação tarifária e a promoção da redução de preços dos transportes nas ligações entre áreas metropolitanas e comunidades intermunicipais limítrofes. O PCP realça que não foi por falta de alerta ou de iniciativa sua que este problema se volta a verificar, pelo que a repetição desta discriminação tem um único responsável: o Governo.

    A DORLEI do PCP reitera que a intermodalidade e a redução tarifária em todo o País é indispensável, com um tecto máximo nacional de 40 euros para um passe mensal que dê acesso aos transportes públicos de cada região e proporcionalmente às ligações pendulares inter-regionais.

    Fonte: GI|DORLEI|PCP
06-01-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Miguel Paulo: “É preciso voltar a página no PS em Rio Maior"
Miguel Paulo
Mulheres portuguesas, por quem os sinos dobram
Joaquim Vitorino
Centro de Negócios de Alcobaça, Feira de São Bernardo e delimitação das novas ARU
Carlos Bonifácio
Só a CDU votou contra os Orçamentos 2020 da Câmara e dos Serviços Municipalizados de Alcobaça
Por Luís Crisóstomo e Clementina Henriques
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o