Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem é responsável pelo conflito entre os motoristas e as empresas transportadoras?
Os motoristas
As empresas
O Governo
Outros
Não sei
Edição Nº 224 Director: Mário Lopes Segunda, 5 de Agosto de 2019
smartOCEAN é uma infraestrutura tencológica e de acolhimento empresarial focada na economia do mar
Parque de Ciência e Tecnologia do Mar vai ser construído em Peniche em 2020
    
     Rui Pedrosa, atual presidente do IPL,
                 foi diretor da ESTTM 
Vai nascer em Peniche um Parque de Ciência e Tecnologia do Mar - smartOCEAN que pretende concretizar o desígnio do mar, promovendo a exploração sustentável dos recursos marítimos. A infraestrutura tecnológica de acolhimento empresarial focada na economia do mar deverá começar a ser construída em 2020, e é um projeto da Câmara Municipal de Peniche, da Docapesca, do Politécnico de Leiria e da Biocant.

    Trata-se de um projeto estruturante que promoverá a transferência de conhecimento para o tecido empresarial e a inovação de base tecnológica. O smartOCEAN permitirá captar e reter talentos e recursos e gerar inovação sustentável, assumindo o papel de agente catalisador de uma economia do mar sustentável, fortemente empreendedora, valorizando economicamente a investigação aplicada, e tirando vantagem de uma rede colaborativa focada na inovação amiga do mar e do ambiente.

   «Queremos contribuir para a mudança de paradigma empresarial das comunidades costeiras. O mar não é só fonte de pescado, e a economia do mar deve ser baseada no conhecimento e na inovação, com respeito pelos recursos limitados dos oceanos, numa estreita ligação à investigação e ao desenvolvimento socioeconómico», explica Sérgio Leandro, coordenador científico do projeto.

    O smartOCEAN permitirá criar uma relação simbiótica entre o território de Peniche, com uma forte vocação e tradição marítima, a formação superior nas áreas do turismo e ciência e tecnologias do mar, na Escola Superior de Turismo e Tenologia do Mar (ESTM), e da infraestrutura científica do Politécnico de Leiria dedicada ao mar, o CETEMARES. O projeto tem como missão diversificar as atividades desenvolvidas nas áreas portuárias, e dirige se a start-ups e spin-offs na área da economia do mar, empreendedores e investigadores, e empresários que pretendam tirar vantagem deste ecossistema de inovação.

   O smartOCEAN nascerá em 2020, com 1500 m2, junto ao edifício CETEMARES, na zona central da cidade de Peniche. Está desenhado para servir de interface entre os sistemas empresarial e científico, e será dotado de condições de excelência, em termos físicos e em equipamentos tecnológico, com vista à incubação de empresas com atividade no âmbito da aquacultura, biotecnologia, inovação alimentar, turismo costeiro e tenologias de informação, comunicação e eletrónica (TICE). Trata-se de um investimento superior a 3.5 milhões de euros, financiado através de fundos comunitários e fundos próprios da Associação que irá gerir o parque.

   Pretendem já integrar o smartOCEAN diversas empresas, nomeadamente a Bitcliq (na área das tecnologia da informação comunicação e TICE), a SEAentia e a Flying Sharks (ambas na área da aquacultura), a I&D Food (inovação alimentar/biotecnologia), a Professional Fish Keepers (aquacultura ornamental), a Bluegrowth (consultoria), a Domatica (internet of things), a Youseame (turismo náutico), e o Ocean Tech HUB.

    Fonte:Midlandcom
05-08-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
É preciso fazer mais e melhor se quisermos erradicar a hepatite C até 2030
Dr. Arsénio Santos
A inteligência artificial e o livre-arbítrio humano
Valdemar Rodrigues
Jogos de tabuleiro e de mesa mais populares já podem ser jogados online
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o