Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Qual será o melhor presidente do PSD?
Rui Rio
Santana Lopes
Outro
Edição Nº 125 Director: Mário Lopes Quarta, 30 de Março de 2011
Projecto de redução da pegada ecológica da UNICRE com a colaboração da Quercus
Ministra do Ambiente saudou repovoamento
do Rio Alcabrichel com Ruivacos do Oeste
    

Fernanda do Carmo, Francisco Ferreira, Adão da Fonseca, Dulce
Pássaro, António Espírito Santo, António Galamba e Carlos Miguel
Mais de 400 espécimes de Ruivacos do Oeste, uma espécie endémica (exclusiva) de Portugal que está em vias de extinção, foram libertados no Rio Alcabrichel, no dia 27 de Março, numa acção simbólica presidida pela ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território, Dulce Álvaro Pássaro. A acção, que decorreu no Ramalhal, Torres Vedras, inseriu-se no âmbito do projecto de recuperação do habitat do Ruivaco do Oeste e do Projecto para Redução da Pegada Ecológica da UNICRE.
   Além da ministra do Ambiente, estiveram presentes Fernanda do Carmo, secretária de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, Francisco Ferreira, vice-presidente da Quercus; Adão da Fonseca, presidente da UNICRE; António Espírito Santo, presidente da Junta de Freguesia do Ramalhal, António Galamba, governador civil de Lisboa, e Carlos Miguel, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras.

   O espírito de cooperação entre todas as partes envolvidas no projecto, desde a Junta de Freguesia do Ramalhal e a Câmara Municipal de Torres Vedras, para além de várias outras entidades oficiais, da Quercus e da UNICRE, foi enfatizado por todos os oradores, numa pequena cerimónica formal antes da acção de libertação dos ruivacos do Oeste. 

   O presidente da UNICRE, Fernando Adão da Fonseca, recordou a importância da reponsabilidade social para a UNICRE, não apenas por uma questão de imagem, mas como uma atitude pemamente dos seus colaboradores face à envolvente. A ministra do Ambiente, Dulce Pássaro, depois de realçar a importância do trabalho da Quercus e do apoio da UNICRE, declarou que “só há desenvolvimento se houver preservação da biodiversidade”.

   Antes da libertação dos peixes no Rio Alcabrichel, levada a cabo pela ministra do Ambiente, pelo presidente da UNICRE, pela secretária de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, Fernanda do Carmo, e por algumas crianças, filhos de funcionários da UNICRE, Vítor Almada, director do Centro de Biociências do ISPA – Instituto Universitário, apresentou o programa de recuperação do Ruivaco do Oeste (Achondrostoma occidentale), que orientou toda a iniciativa.

   O projecto da UNICRE para a redução e compensação da pegada ecológica iniciou-se em 2009, sendo a UNICRE a primeira empresa nacional de capitais privados a subscrever um compromisso desta natureza com a Quercus. A empresa comprometeu-se a executar, ao longo de cinco anos, um plano que promove a eficiência dos recursos, das energias renováveis e do investimento em “capital natural”, com dois âmbitos de actuação, interno e externo. Ao nível externo, a UNICRE tem vindo a dinamizar a intervenção de equipas de voluntários, compostas pelos seus colaboradores e respectivas famílias, em áreas que necessitem de reabilitação. 

   Com base neste Compromisso, a UNICRE apoiou financeiramente o projecto de restauração de um troço do rio Alcabrichel, no Ramalhal, dinamizado localmente pela Quercus, com o objectivo de criar condições para o repovoamento do Ruivaco do Oeste. 

   A intervenção teve início em 2009 com a realização de acções de remoção de infestantes, nomeadamente da cana (Arundo donax), estabilização das margens, instalação de vegetação, diversificação do leito e construção de fundões que conservem água no Verão, bem como de leitos de cascalho adequados à desova do Ruivaco. Estes trabalhos contaram com a colaboração dos proprietários locais, do Centro de Biociências do ISPA, do Município de Torres Vedras e da Junta de Freguesia do Ramalhal.

   Os peixes que ontem foram libertados resultam de um programa de reprodução da espécie em cativeiro, realizado em Campelo (Figueiró dos Vinhos), projecto cuja implementação resultou de uma parceria mais alargada.

   UNICRE reduziu pegada ecológica em 21% nos últimos dois anos

   Ao nível interno, a UNICRE compromete-se a melhorar a utilização dos seus recursos, de modo a ser mais eco-eficiente, e tem vindo a alterar os processos e a ajustar os fluxos de trabalho. Estes esforços resultam, por exemplo, na menor utilização e circulação de papel e respectiva reciclagem, na colocação de redutores de caudal nas torneiras e na separação dos resíduos.

 


Francisco Ferreira, Fernanda do Carmo, Dulce Pássaro
e Adão da Fonseca prontos a entrarem no Rio Alcabrichel

   O estudo que a Quercus realizou para medir os resultados das acções dinamizadas pela UNICRE nestes dois últimos anos revelou que a empresa já reduziu a sua pegada ecológica em 21 por cento.

 A subscrição de compromissos de redução da pegada ecológica das empresas, iniciativa da Quercus, pretende que os serviços prestados pelos ecossistemas e toda a actividade que assegura a sua manutenção e restauração se traduzam num activo económico contabilizável, criando uma nova fórmula de medir o desenvolvimento económico e o impacto ambiental. 

  A Pegada Ecológica, explica a Quercus, é um indicador que procura avaliar a sustentabilidade dos territórios, comparando a utilização dos serviços e recursos naturais com a capacidade que a Natureza tem para efectuar a sua reposição. Por outras palavras, traduz em hectares (ha) a área que um cidadão ou sociedade necessitam, em média, para suportar as suas exigências diárias. O cálculo tem por base diferentes categorias de consumo, como sejam a alimentação, a casa, os transportes, os bens de consumo, a energia, a água, entre outros. Este consumo é convertido em área bioprodutiva, segundo várias parcelas de terreno (terra e mar) necessárias para produzir/repor os recursos utilizados e assimilar os resíduos e os poluentes produzidos por uma dada unidade de população.

   Sobre o projecto de reprodução em cativeiro

   


Descarga de Ruivacos do Oeste no Rio Alcabrichel

Para além do Ruivaco do Oeste, pela Quercus – ANCN, estão a ser reproduzidas outras quatro espécies de peixes do Oeste e do Sul do País, “criticamente em perigo”: a boga-portuguesa (Iberochondrostoma lusitanicum), o escalo do Mira (Squalius torgalensis), o escalo do Arade (Squalius aradensis) e a boga do Sudoeste (Iberochondrostoma almacai), sendo que colaboraram nesta parceria a Quercus ANCN, o Centro de Biociências do ISPA - Instituto Universitário, o Aquário Vasco da Gama, a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Técnica de Lisboa, a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos e a EDP - Energias de Portugal.

   Sobre a UNICRE

   Fundada em 1974, a UNICRE é o maior especialista português em soluções de pagamentos, ocupando um lugar de destaque em termos europeus.
Sob a marca REDUNICRE, é detentora, em Portugal, da maior rede de aceitação de cartões de pagamentos automáticos, com um volume de facturação de 17,3 mil milhões de euros em 2010 e cerca de 75 mil terminais. Ao nível da emissão gere 460 mil cartões de crédito, 231 mil dos quais da marca UNIBANCO.

   Fonte: MidlandCom
30-03-2011
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Comentário de Carlos Ferreira
10-05-2014 às 17:45
Parece que algo se está a recompor... Há mais de três décadas, que para além de frascos de pesticidas agrícolas entre outras porcarias boiantes, não via destes peixinhos por aqui!!! https://www.facebook.com/photo.php?v=644491072298420&set=vb.100002125986325&type=2&theater
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A vitória de Augusta Martinho e o odor sulfuroso da burocracia
Mário Lopes
OPINIÃO
“À rasca” mas não resignados!
Hugo Rilhó
Sobreendividamento - Parte II
Por Sofia Antunes
Cozinhando as pedras: a “geração à rasca” e o emprego
Valdemar Rodrigues
A propósito da redução do número de Deputados
Diogo Coelho
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o