Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
A Linha do Oeste deve ser requalificada?
Até Caldas da Rainha
Até Leiria
Em toda a extensão
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 213 Director: Mário Lopes Quarta, 22 de Agosto de 2018
Entre Braga e Santiago de Compostela
Família da Batalha é a primeira a fazer Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros
  
            Jorge Novo, António Novo e Lurdes Nunes
Uma família portuguesa, residente na Batalha, é a primeira a percorrer o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros. O filho, de 13 anos, é o mais jovem peregrino a fazer o percurso até hoje. O professor Jorge Novo, de 53 anos, afirmou na segunda-feira, 20 de agosto, após a quinta etapa, à chegada a Cortegada, que “de todos os caminhos que fez este é sem dúvida o que se destaca nas paisagens naturais, pela sua beleza e estado natural”. O percurso do Caminho Português de Santiago demora cerca de 10 dias a concluir.

   Para Jorge Novo, também presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Batalha, que caminha na companhia da mulher, a empresária Lurdes Nunes, de 49 anos; e do filho, António Novo, de 13 anos, estudante; “é também um mergulhar na história ao passar na geira romana, recebendo a partilha histórica dos antepassados”.

   “O caminho não é fácil para quem não estiver preparado, dado que não existem muitos pontos de abastecimento/paragem. Este caminho ainda não tendo albergues, também não tem os chamados turigrinos. É realmente o melhor caminho”, destacou o peregrino.

  
                                         Ponte romana
O jovem António Novo reconhece as dificuldades e as virtudes do trajecto, ”apesar de já ter feito cinco caminhos, começando aos nove anos, este é o percurso mais difícil, mas é também o mais rico em história e paisagens naturais.”

   Para Lurdes Nunes, as “paisagens espetaculares, principalmente o troço da geira romana, a mata da Albergaria, a paisagem lunar até Castro Laboreiro” merecem destaque. “É um caminho duro e desafiante, por não estar marcado, o que obriga a andar com o GPS na mão. Não há locais onde se possa reabastecer, beber um café ou comprar algo, o que obriga a um esforço extra para transportar alimentação e água”, constata a peregrina.

   “Em todo o caminho, o som da água a correr acompanha-nos, bem como muitas borboletas, insetos, aves. Isto é até ao momento, pois nunca se sabe o que o caminho nos reserva amanhã”, adianta a empresária, na expetativa em relação às etapas que hão de vir até a família chegar à Praça do Obradoiro, em Santiago de Compostela.

  
  Paisagens naturais dominam o Caminho da Geira Romana
                                               e dos Arrieiros
O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (também conhecido como Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro) foi percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça no corrente ano.

   A Associação Codeseda Viva e a Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro coordenam a investigação histórica e patrimonial do traçado e sobre outros recursos necessários à validação deste caminho, um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a sua homologação até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

   Mais informações em:
Jorge Novo: https://www.facebook.com/jorge.novo.988
Caminho de Braga a Santiago de Compostela: http://debragaasantiago.com/
Associação Codeseda Viva https://goo.gl/KtULoi
22-08-2018
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
De que matéria se faz esta cidade?
Jorge Mangorrinha
A Guida fugiu com um rapazola ou o pé da Luizinha Carneiro
Fleming de Oliveira
Peso das mochilas não provoca escoliose
Dr. Nuno Neves
Explosão tecnológica abre a porta à inteligência artificial
Joaquim Vitorino
Não se esforce em demasia: dores nos pés podem ser sinal de fasceíte plantar
Drª Fátima Carvalho
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o