Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem foi o principal vencedor das eleições para o Parlamento Europeu?
PS
Bloco de Esquerda
PAN
Outro
Edição Nº 84 Director: Mário Lopes Quarta, 24 de Outubro de 2007
No âmbito dos 25 Anos do CENCAL
CENCAL presta homenagem a Mestre João Reis

  


João Reis

O conselho de administração do CENCAL entendeu, no âmbito das comemorações
dos 25 anos da instituição, homenagear João Reis, (1942/1997), mestre oleiro, monitor e coordenador dos Cursos de Cerâmica Criativa do CENCAL entre 1987 e 1997, formador insigne, um marco indelével no percurso formativo de 25 anos da instituição. Assim, no dia 30 de Outubro, pelas 10 horas e 30 minutos, será promovida nas instalações do CENCAL, nas Caldas da Rainha, uma sessão de homenagem a mestre João Reis, falecido a 25 de Junho de 1997.

Biografia

João Jesuíno Marques dos Reis
Nasceu em Caldas da Rainha em 14 de Fevereiro de 1942
1956 – Iniciou a arte de trabalhar o barro na olaria do pai.
1962/1982 – Coordenou e dirigiu a Olaria João Reis, Caldas da Rainha
1970/1982 – Várias Exposições no Posto de Turismo, Caldas da Rainha
1970/1983 – Participação nas Feiras de Artesanato de Vila do Conde, Lagoa e
Santarém
1977 – Exposição de Trabalhos na Galeria Capitel, Leiria
1977 – Participação na Expo Caldas’77, Museu de José Malhoa, Caldas da Rainha
1978 – Exposição na Figueira da Foz, a convite da Cruz Vermelha Portuguesa
1978 – Trabalhos ao Vivo, Museu de Arte Antiga, Lisboa, Expo Caldas’78
19878/1982 – Participação na FIL Artesanato, Lisboa
1978/1988 – Participação nas Feiras Nacionais de Cerâmica, Caldas da Rainha
1979 - Exposição na Estufa Fria, Lisboa, a convite da Cruz Vermelha Portuguesa
1979 – Participação na Semana de Portugal em Madrid
1980 – Exposição na Casa da Cultura, Caldas da Rainha
1980/1982 – Trabalhou nas Faiainças SECLA, Caldas da Rainha
1980/1983 – Trabalhos ao Vivo no Salão Nacional do Artesanato, Casino do Estoril
1982 – Colaborou na fundação da Associação de Artesãos de Caldas da Rainha
1983 – Convidado a trabalhar no CENCAL, Caldas da Rainha
1986 – Monitor do 2º Curso de Cerâmica Industrial do CENCAL, Caldas da Rainha
1990 – Apoio Técnico e Pedagógico, na área de Olaria, ao Curso de Cerâmica
Artística de Barro Vermelho, no âmbito do C.P.C., Santarém
1980 - Apoio Técnico e Pedagógico no curso de Vidrados Cerâmicos para a Indústria
da Olaria Regional no I.E.F.P., Reguengos de Monsaraz
1994 – Participação no projecto europeu Leonardo – Projecto de Intercâmbio Ibérico
de Profissionais Ligados ao Sector da Cerâmica
1987/1997 – Monitor e Coordenador dos Cursos de Cerâmica Criativa do CENCAL,
Caldas da Rainha
Morre a 25 de Junho de 1997, em Caldas da Rainha

JOÂO REIS – UM MESTRE DA OLARIA

“Sempre me lembro do João Reis afável, disposto a dialogar e com um sorriso tão
característico, memo nos momentos difíceis dos seus últimos anos de vida. As peças
que produzia pareciam fáceis nas suas mãos de Artista, bem como a vontade de
transmitir os seus ensinamentos. Caldas da Rainha não pode esquecer este grande
Oleiro …” – Maria da Conceição Jardim Pereira, Maio de 2003

O MESTRE JOÃO REIS

“Para além da amizade que nos ligava, sempre o admirei por ser um homem de muito
carácter e com a “cara no sítio”. Não era só bom, generoso, afável e disponível, como
também era um excelente profissional, completo e cheio de sentido de dignidade. João
Reis conhecia profundamente o seu ofício foi um virtuoso rodista , sabia distinguir e
preparar os barros, produzia os seus próprios vidrados e percebia muito das
cozeduras controladas a olho nú.” – Rafael Salinas Calado, Maio de 2003

JOÃO REIS - O OLEIRO RENOVADOR

“Fornadas inteiras de novos oleiros saíram das mãos de João Reis e não foi apenas a
arte do barro que lhes legou, foi também uma forma serena, honesta, transparente e
humilde de encarar a vida e o mundo que tantas incompreensões e dificuldades lhe
criaram.” – António Marques, Maio de 2003

JOÃO REIS – UM EXEMPLO DE RESISTÊNCIA À INFELICIDADE

“A fase final da sua vida, marcado por uma doença que ainda não perdoa, mostra o
quão injusta é a passagem pela Terra. Com muito ainda para dar aos seus discípulos,
quis partilhar até aos últimos dias, esse conhecimento de saber feito, que lhe foi
transmitido por seu pai e outros ceramistas, e que também aprendeu pela sua
experiência. … Deixou uma obra e um exemplo, …” – José Luís Almeida e Silva, 8 de
Maio de 2003

in “João Reis – Cerâmicas”, edição da Câmara Municipal de Caldas da Rainha, 2003

24-10-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Comentário de Ana Rosa
05-04-2015 às 21:35
Eu foi sua formada no ano de 89, era um homem extraordinário uma ótima pessoa,apesar de um achar às vezes um, pouco rude, mas hoje vejo que tinha que ser assim. Quando soube da sua morte chorei muito. Lembro-me dele com saudade. Paz à sua alma.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A escola da Calçada de Carriche
Mário Lopes
OPINIÃO
Portugal e as Migrações: “Novos e Velhos Desafios”
Henrique Tigo
O Arquitecto Eugénio dos Santos
Luís Rosa
A nova cruz alta de Fátima
D. Serafim Ferreira e Silva
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o