Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Qual será o melhor presidente do PSD?
Rui Rio
Santana Lopes
Outro
Edição Nº 204 Director: Mário Lopes Sexta, 13 de Outubro de 2017
Entre 2011 e 2016
Batalha é o único concelho da região de Leiria em que a população aumentou
  
Joaquim Ruivo, Paulo Batista Santos e um artesão da FIABA
  com uma peça em madeira alusiva ao Mosteiro da Batalha 
A Batalha é um dos 34 municípios portugueses, num total de 308, que viram a sua população aumentar entre 2011 e 2016, de acordo com o estudo “Retrato Territorial de Portugal” divulgado esta quinta-feira, 12 de outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística. O Concelho da Batalha registou um aumento populacional de 0,01 por cento, sendo o único a crescer no distrito de Leiria.

   A edição de 2017 do Retrato Territorial de Portugal - publicação bienal do Instituto Nacional de Estatística (INE) – é inteiramente dedicada ao estudo aprofundado de três temáticas: a diferenciação territorial do turismo; a sustentabilidade demográfica dos territórios; e a competitividade e a inovação nas regiões portuguesas.

   Acresce que estas temáticas são analisadas no contexto dos três domínios que estruturam o Retrato Territorial de Portugal: Qualificação territorial, Qualidade de vida e coesão, e Crescimento e competitividade.

   De acordo com este estudo, na temática referente à diferenciação territorial do turismo, o Município da Batalha, no retrato territorial por município do número de dormidas por 100 habitantes, evidencia que, em 2016, este indicador era o mais elevado da Região de Leiria [pág. 54, Figura I.24].

   A análise relativa à sustentabilidade demográfica dos territórios , que se encontra estruturada em três vetores que focam a leitura das assimetrias territoriais da evolução da população, a tendência de envelhecimento e a (in)capacidade de renovação demográfica dos comtórios, os padrões territoriais de fecundidade e o papel que a população estrangeira desempenha neste contexto, o Concelho da Batalha, para além de ser um dos 34 municípios portugueses que regista aumento populacional, destaca-se igualmente na proporção mais elevada de mulheres em idade fértil, face ao total de população residente feminina [pág. 122, Figura I.31], o que perspetiva um bom indicador futuro ao nível da fecundidade.

   Por fim, na análise sobre a competitividade e a inovação nas regiões portuguesas, onde são identificados três pontos de análise relativos ao desempenho económico das regiões e condições para a inovação, ao conteúdo tecnológico das regiões e dinâmica das empresas de base tecnológica, e aos resultados da inovação nas regiões portuguesas, em 2015, a Região de Leiria, a par da Área Metropolitana de Lisboa, o Alentejo Litoral, o Algarve eram as únicas sub-regiões a superarem o valor médio nacional do PIB per capita [pág.º 122, Figura III.2].

   Para o presidente da Câmara Municipal da Batalha, Paulo Santos, “os indicadores agora conhecidos confirmam as perspetivas positivas que temos registado ao nível da fixação de novas famílias, da boa capacidade de empregabilidade das empresas e dos níveis de qualidade de vida que a Batalha conheceu no período analisado pelo estudo do INE”.

   “O facto de registarmos crescimento populacional e mantermos boas referências ao nível da fecundidade, reforçam a necessidade dos investimentos que estamos a realizar nas áreas da educação e de apoio às famílias com filhos”, enfatiza o Autarca.

   O estudo encontra-se disponível em: https://www.ine.pt/ine_novidades/RTP2017/2/

   Fonte: MB
13-10-2017
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
O Deselegante Declínio da Autoridade Administrativa
Sérgio Martinho
O declíno acentuado das funções executivas podem ser indicadores de doença
Drª Luísa Lagarto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o