Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
De momento não existem Sondagens activas.
Ver Sondagens Anteriores
Edição Nº 225 Director: Mário Lopes Terça, 10 de Setembro de 2019
Homens foram detidos em Espanha
Polícia Judiciária detém assaltantes de crimes muito violentos na Lourinhã
   
     Vítimas continuam a recuperar
         das graves lesões sofridas
A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, contando com a relevante colaboração da Guarda Nacional Republicana e da Guardia Civil de Espanha, localizou, identificou e deteve dois homens, de 40 e 21 anos, fortemente indiciados pela prática de crimes de roubo agravado, homicídio na forma tentada, violação, sequestro, exposição ao abandono e detenção de arma proibida.

    Os factos ocorreram no dia 25 de agosto, iniciando-se quando os ora detidos entraram abruptamente numa residência, sita no concelho da Lourinhã e na qual residiam tio e sobrinha, a quem exigiram a entrega de dinheiro e objetos em ouro. As vítimas eram conhecidas dos autores e foram selvaticamente agredidas, tendo, uma delas, sido sujeita a um gravíssimo abuso sexual.

   Após efetuarem o roubo na habitação, os ora detidos colocaram a vítima masculina no porta-bagagens de uma viatura que lhe pertencia e a ofendida no banco traseiro, ambos manietados.

   Vieram a abandonar a vítima masculina, que julgavam estar morta, num pinhal existente na zona, e, alguns quilómetros depois, a ofendida, sobre quem desferiram um disparo de arma de fogo na cabeça, visando a sua morte.

   De seguida, os autores fugiram utilizando a mesma viatura, vindo a ser localizados e detidos, no dia 27 de agosto, em cumprimento de mandado de detenção europeu, quando se deslocavam de táxi numa localidade do norte de Espanha.

   Os detidos apropriaram-se de bastante dinheiro, ainda não totalmente quantificado, de objetos em ouro e de uma arma de fogo que uma das vítimas possuía.

  Os autores foram entregues às autoridades portuguesas na passada sexta-feira e foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

   Face à precariedade do seu estado de saúde, as vítimas continuam a ser assistidas para recuperação das lesões graves que lhes foram infligidas.
 
   Fonte: GI|PJ
10-09-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Os sete pecados mortais da “Geringonça”
Mário Lopes
OPINIÃO
Feira de São Bernardo, Casal Gregório e arranjos exteriores das antigas escolas primárias de Alcobaça
Carlos Bonifácio
Saiba como ganhar dinheiro nas Apostas Desportivas a longo prazo
Por PTAposta
10 cuidados a ter este verão para prevenir infeções nos pés
Dr. Francisco Freitas
Entenda porque a Bettilt é a melhor Casa de Apostas em Portugal
Por Bettilt
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o