Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Leiria tem condições para ser Capital Europeia da Cultura?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 215 Director: Mário Lopes Quarta, 5 de Dezembro de 2018
Origens remontam ao Terceiro milénio a.C
Projeto de Valorização do Castro do Zambujal inaugurado em Torres Vedras
  
                                    Castro do Zambujal
O Projeto de Valorização do Castro do Zambujal, em Torres Vedras, foi inaugurado este sábado. 1 de dezembro. Ângela Ferreira, secretária de Estado da Cultura, Carlos Miguel, secretário de Estado das Autarquias Locais, e David Santos, sub-diretor geral do Património Cultural, marcaram presença na inauguração da intervenção, que teve como objetivo a salvaguarda e conservação do sítio, assim como o acesso e fruição do seu património cultural.

   Um dia de “festa” que “culmina anos de trabalho, investigação, desenvolvimento de projetos, avanços, recuos, discussão de soluções, reuniões, visitas ao terreno, colaborações e parcerias” sublinhou Rui Brás, Chefe da Divisão da Cultura, Património Cultural e Turismo da Câmara Municipal de Torres Vedras, que destacou o trabalho do Instituto Arqueológico Alemão, em especial de Michael Kunst. O alemão dirigiu os trabalhos no local desde 1994, tendo sido lida uma saudação do mesmo aos presentes na cerimónia.

   O custo total da intervenção foi de cerca de 355 mil euros, repartidos por ações de conservação e restauro – incidindo em 13 áreas prioritárias de intervenção, num total de aproximadamente 1500 m2 -, paisagismo – através da definição de acessos, percursos e zonas de estacionamento - e interpretação – através de um áudio guia em versão app nativa e um site, complementados por cinco painéis e um folheto informativo.

   Thomas Schattner, vice diretor do Instituto Arqueológico Alemão, organização que fez o acompanhamento científico do projeto, referiu que “há uma qualidade no ser humano que é a curiosidade”, explicando que essa é uma característica universal. “Penso que essa universalidade há de ser o ponto de partida para explicar porque é que estamos aqui, exatamente no Zambujal, a colaborar com os colegas portugueses.”

   Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, afirmou que “este é um exemplo claro do contributo da valorização do património para memória futura” e deixou um agradecimento “àqueles que ao longo de mais de 50 anos têm feito um trabalho profícuo na vertente da investigação.” Lembrando que este ano se assinala o Ano Europeu do Património Cultural, Carlos Bernardes destacou a importância do Castro do Zambujal e aproveitou para lembrar também que o Convento de Santo António do Varatojo é um “monumento nacional que carece de investimento para a sua reabilitação.”

   Ângela Ferreira, secretária de Estado da Cultura, falou num “trabalho de recuperação notável que vai permitir a todos nós conhecer de perto e usufruir de um dos mais emblemáticos sítios arqueológicos portugueses.” Um projeto que irá convidar a “mergulhar nos hábitos, costumes e saberes das primeiras sociedades agro-metalúrgicas do período calcolítico da Península Ibérica”, ao mesmo tempo que irá “afirmar Torres Vedras como destino turístico”.

   Estima-se que o Castro do Zambujal tenha cerca de 3600 visitantes por ano, resultado das visitas organizadas e de uma estimativa de visitas espontâneas. Após o projeto de intervenção - cofinanciado em 85% pelo Programa Operacional Regional do Centro, Portugal 2020 e União Europeia, por meio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional -, prevê-se o desenvolvimento de um crescimento sustentável, atingindo os 10 mil visitantes por ano em 2023.

   O Castro do Zambujal

   O Castro do Zambujal é um povoado fortificado situado a 3 km de Torres Vedras, cujas origens remontam ao Terceiro milénio a.C., no início da Idade do Cobre na Europa Ocidental. Inserido num conjunto mais vasto de fortificações similares situadas na Estremadura (nas penínsulas de Lisboa e Setúbal), crê-se ter sido o mais importante centro de fundição e comércio de minério dessa zona. A sua descoberta deve-se ao arqueólogo torriense Leonel Trindade em 1932. Em 1946 foi elevado à categoria de Monumento Nacional pelo Estado português.

   Fonte: AC|CMTV
05-12-2018
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Pela Conclusão da IC3/A13
Tiago Carrão
Posição do CDS sobre os documentos previsionais do Municipio de Alcobaça para 2019
Carlos Bonifácio
A vacinação reduz o número de casos e de mortes por pneumonia
Dr. Vasco Barreto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o