Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem foi o principal vencedor das eleições para o Parlamento Europeu?
PS
Bloco de Esquerda
PAN
Outro
Edição Nº 84 Director: Mário Lopes Terça, 23 de Outubro de 2007
Marinha Grande
PCP retira confiança política a Barros Duarte

   


Barros Duarte

A Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP admite que o actual presidente da Câmara já não irá renunciar ao mandato, considerando a atitude de Barros Duarte uma “sobreposição dos interesses pessoais aos interesses colectivos e de apego desmesurado ao poder.” Para o PCP, João Barros Duarte defraudou a confiança do seu Partido e camaradas, de todos quantos confiaram na CDU e no seu projecto e, em larga medida, as expectativas dos marinhenses, pelo que retira a confiança política a João Barros Duarte, que “daqui em diante passará a representar-se a si próprio.” Barros Duarte permanece de baixa médica, pelo período de um mês, até ao dia 9 de Novembro.

    O PCP recorda, em comunicado de 23 de Outubro, que na conferência de imprensa realizada no dia 2 de Outubro, a Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP tornou público que “João Barros Duarte de acordo com o PCP e correspondendo a uma questão há muito colocada deixaria a Presidência da Câmara a partir de dia 4 de Outubro” e que, “como é conhecido, isso ainda não se concretizou.”
 
    Analisando os desenvolvimentos ulteriores, o comunicado esclarece que a Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP fez, durante o período que mediou entre o dia 2 e 15 de Outubro, várias tentativas para conversar e aclarar a situação com Barros Duarte, nomeadamente com o envio de uma carta propondo-lhe um encontro para o dia 15 de Outubro e que tais tentativas foram goradas pela sua recusa sistemática.

    Apesar de se encontrar doente, como foi tornado público, Barros Duarte deslocou-se várias vezes à Câmara, inclusive para um encontro com o PS e, no dia 19 de Outubro, o jornal “ Região de Leiria” deu conta de uma “declaração” de Barros Duarte afirmando que vai regressar à Câmara para trabalhar.

    Tal comportamento e “atitude de negação da palavra dada” surpreendeu a Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP. Segundo o partido, “nada fazia prever uma mudança de atitude de João Barros Duarte, recusando renunciar ao mandato “rasgando” o compromisso assumido.”
 
    Perante a situação criada por Barros Duarte, o PCP esclarece:

1º.      “O ainda Presidente da Câmara sabe que corresponde inteiramente à verdade que a sua saída era uma questão há muito colocada e acordada entre si e o PCP.

2º.      Na conversa havida entre o PCP e João Barros Duarte no dia 11 de Setembro, este colocou de imediato o seu lugar à disposição, acrescentando até a necessidade de se acelerar o processo da sua substituição.

3º.      Assim a conferência de imprensa e o conteúdo essencial da declaração política onde se anunciava a renúncia ao mandato por parte de João Barros Duarte foram, como é natural, objecto de acordo prévio do próprio. Aliás o actual Presidente da Câmara disponibilizou-se mesmo a estar presente na conferência de imprensa para fazer a declaração, o que, como é conhecido, não cumpriu.

4º.      O ainda Presidente da Câmara sabe também que a questão da sua saída foi agora colocada pela necessidade de um trabalho mais articulado, mais dinâmico e mais colectivo por parte dos vereadores da CDU para dar um novo impulso à gestão autárquica com vista à concretização dos objectivos programáticos e à resolução mais célere dos problemas da população.”

    A Comissão Concelhia da Marinha Grande do PCP considera que “com esta sua atitude de sobreposição dos interesses pessoais aos interesses colectivos e de apego desmesurado ao poder, João Barros Duarte defraudou a confiança do seu Partido e camaradas, de todos quantos confiaram na CDU e no seu projecto e em larga medida as expectativas dos Marinhenses.”

    Assim, “sem prejuízo de outras avaliações e tomadas de posição ulteriores, não resta à Comissão Concelhia do PCP outra decisão que não seja a retirada de confiança política a João Barros Duarte, que daqui em diante passará a representar-se a si próprio”, sublinha o comunicado.

    Manifestando-se coerente com o seu projecto autárquico e a luta em defesa dos trabalhadores e da população da Marinha Grande, o PCP alerta para “as manobras e campanhas oportunistas em curso de alguns dos principais responsáveis pela gestão desastrosa que nos últimos anos agravou a situação do concelho e da autarquia”, reafirmando a sua determinação em encontrar as soluções que melhor sirvam a população e o progresso da Marinha Grande.

    Contactado pelo Tinta Fresca, uma porta-voz do Comité Central do PCP informou que a sede do partido no distrito de Leiria está localizada na Marinha Grande, pelo que caberá às estruturas locais pronunciar-se sobre o assunto. “O PCP não interfere em questões regionais”, frisou.


 

23-10-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A escola da Calçada de Carriche
Mário Lopes
OPINIÃO
Portugal e as Migrações: “Novos e Velhos Desafios”
Henrique Tigo
O Arquitecto Eugénio dos Santos
Luís Rosa
A nova cruz alta de Fátima
D. Serafim Ferreira e Silva
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o