Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Leiria tem condições para ser Capital Europeia da Cultura?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 66 Director: Mário Lopes Terça, 11 de Abril de 2006
Alcobaça
Nuno Lobo Antunes: "7,5% da população escolar tem hiperactividade e défice de atenção"

 Nuno Lobo Antunes

Nuno Lobo Antunes, neuropediatra e director clínico do CADIn, uma IPSS que tem por objectivo último a integração na sociedade das crianças e jovens com perturbações do desenvolvimento, foi o convidados da Escola Secundária D. Inês de Castro de Alcobaça para o colóquio "Hiperactividade e défice de atenção", realizado no dia 31 de Março. A iniciativa, integrada na "Escola Aberta", fez encher o auditório da escola, sobretudo, de professores que quiseram entender este problema grave que afecta 7,5% da população escolar. Em Portugal, há cerca de 100 mil crianças com alterações do desenvolvimento.

Segundo Nuno Lobo Antunes, o défice de atenção / hiperactividade é um problema biológico, diagnosticado apenas pelo comportamento. Na verdade, a pessoa afectada dá atenção a tudo o que mexe, uma qualidade importante na antiguidade quando o homem vivia da caça, mas que hoje acarreta sérios problemas de integração social. O director clínico do CADIn alerta, no entanto, que muitos dos alunos etiquetados como tendo défice de atenção não têm qualquer problema, tratando-se apenas de manifestações de vitalidade ou desejo de chamar a atenção dos outros.

Para haver diagnóstico de défice de atenção não pode haver outra explicação e tem de provocar sofrimento e incapacidade. A hiperactividade atinge, sobretudo, os rapazes (cerca de 75 a 80%). Segundo Nuno Lobo Antunes, as raparigas são apenas desatentas e, por isso, são mais difíceis de diagnosticar que os rapazes, muito mais irrequietos. Metade dos hiperactivos têm perturbações do sono. Muitas vezes, a hiperactividade cessa aquando da passagem da infância para a adolescência. No entanto, metade dos hiperactivos continuam com o problema mesmo na idade adulta.

Existe uma razão biológica para o défice de atenção: os níveis de dopamina nestes jovens é mais baixo que o normal e, por isso, podem ser medicados no sentido de repor esses níveis. Para tal, existe um medicamento (metilfenidato) cuja eficácia ronda os 80 %. Segundo Nuno Lobo Antunes, "uma criança com défice de atenção é um carro sem travões" e, por isso, discorda dos que consideram a medicação uma interferência na personalidade dos hiperactivos, uma vez que apenas lhes proporciona aquilo que os restantes jovens já têm.

Existe também uma contribuição genética para este problema. Assim, os pais hiperactivos têm 50% de probabilidade de terem um filho hiperactivo. As consequências em termos sociais são bem evidentes: a probabilidade dos hiperactivos terem um acidente de bicicleta aumenta 50%; de irem parar às urgências dos hospitais aumenta 33%; dos pais com filhos hiperactivos se divorciarem aumenta 3 a 5 vezes; de se tornarem consumidores de drogas aumenta duas vezes.

Os sentimentos de culpa dos pais com filhos hiperactivos também são muito frequentes, com o pai a atirar a culpa para a mãe, por esta não o saber educar. Por outro lado, devido aos embaraços provocados pelo filho, os pais vão-se isolando cada vez mais e deixando de ter vida social.

Os medicamentos não curam a hiperactividade, mas contribuem para minorar enormemente o sofrimento das crianças, que se sentem culpadas por não corresponderem às exigências dos pais e dos professores. No entanto, não curam os problemas de oposição, apenas ultrapassáveis com terapia comportamental. O medicamento destina-se a diminuir a falta de atenção, mas frequentemente também diminui a hiperactividade.

Nuno Lobo Antunes deixou ainda alguns conselhos aos professores: os alunos com défice de atenção devem estar sentados na primeira fila e terem apenas uma tarefa de cada vez para fazerem. Face aos constantes problemas criados pelo aluno hiperactivo na sala de aula, muitos professores anseiam para que ele deixe de estar ao seu cuidado. Contudo, o neuropediatra considera ser um grande privilégio para qualquer professor poder modificar o comportamento de uma criança com défice de atenção.

Além do CADIn, Nuno Lobo Antunes indica também como instituição de referência nesta área, o Centro de Desenvolvimento Infantil - DIFERENÇAS, dirigido por Miguel Palha, e mesmo instituições públicas, como o Hospital de Santo André, em Leiria, que contudo, tem uma lista de espera de 7 meses.

O CADIn

O CADIn é Instituição Particular de Solidariedade Social patrocinada por um grupo de grandes empresas e fundações nacionais e tem como objectivo proporcionar apoio a crianças, que muitas vezes apresentam dificuldades em múltiplas áreas. Por isso, o tratamento deve ser realizado em centros capazes de integrar técnicos de diferentes especialidades, da Neurologia e Psiquiatria ao Desenvolvimento, da terapia da fala à intervenção psico-pedagógica. O CADIn dispõe de um sítio na Internet em www.cadin.net .

A Escola Aberta

A VIII Escola Aberta teve lugar de 27 a 31 Março na Escola Secundária D. Inês de Castro de Alcobaça. O programa de actividades, a exemplo do que sucede noutras escolas, coincidiu com a última semana de aulas do 2º período e incluiu teatro com o grupo Prata da Casa, o tradicional cicloturismo, as sessões pedagógicas "Métodos Contraceptivos", " Comer bem para viver melhor" e Prevenção Rodoviária Portuguesa, um concerto de jazz e os colóquios "A Importância da Biodiversidade, pelo Dr. Jorge Paiva "e "Hiperactividade e défice de Atenção", pelo Dr. Lobo Antunes. A Escola Aberta termina com o clássico Café Concerto e a entrega dos prémios Ineses.

Do programa, destaque ainda para um variado leque de actividades desportivas, xadrez, sessões relacionadas com as disciplinas, nomeadamente, Matemática, Português e Ciências Físico-Químicas (com o Laboratório Aberto) e para uma sessão de divulgação do Rock in Rio.


          Mário Lopes

11-04-2006
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Comentário de Gil Saraiva
05-06-2013 às 14:47
Ola boa tarde Sr Dr Nuno lobo Antunes Eu vivo no algarve e gostaria de saber se me pode aconcelhar um colega seu, pois tenho um filho com 12 anos inteligente mas com uma falta de atençao enorme e que gosta de ser o engraçado da sala, ja fomos chamados varias vezes á escola por causa do seu comportamento.. Já o repreendemos varias vezes e a resposta é sempre a mesma ( nao consigo mudar é mais forte que eu) O que nos aconcelha? Desde ja muito obrigado. Gil Saraiva
Comentário de Manuel dos Santos Duarte
24-08-2010 às 15:10
Boa tarde Sr. Dr. Nuno Lobo Antunes, Agradeço que me informe o nome de um colega que dê consultas desta especialidade no Porto. Tenho um filho c/11anos a precisar de ajuda médica para a sua hiperactividade.
Comentário de Júlia Ferreira
20-11-2009 às 09:03
É muito gratificante poder ajudar as maes mesmo que seja pela leitura,sou mae de um filho de 10 anos e tem sido muito dificil educar com hiperactividade com comportamentos que era de ir com ele a Lisboa só para o consultar Sr.Drº,era bom que estivesse no Porto.parabéns pelo excelente trabalho.
Comentário de celia morais
13-11-2009 às 17:15
venho por este meio que agradeço ao drº tudo o que disse nestes pequenos textos pois eu tenho um filho com 11 anos que e hiperactivo com defice de atençao e e muito dificil educar -lo e este ano ainda mais pois foi para o 5º ano mais uma vez muitos parabens ao drº pois gosto muito de ouvi-lo
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Diário de bordo da estrada
OPINIÃO
Água: o novo Ouro Branco
Destinos de prazer!
A quem interessa o mau funcionamento das forças policiais em Portugal?
Mulheres a menos
Quotas? Não, obrigada. Mas...
Encerramento de escolas do 1º ciclo: uma questão não-pedagógica
O Oeste é plano
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o