Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem foi o principal vencedor das eleições para o Parlamento Europeu?
PS
Bloco de Esquerda
PAN
Outro
Edição Nº 223 Director: Mário Lopes Quinta, 13 de Junho de 2019
Antigas instalações do Instituto da Vinha e do Vinho vão ter nova vida
Edifício do IVV de Torres Vedras transformado em Pólo de Inovação do Vinho e Gastronomia
   
       Atuais instalações do Instituto da Vinha e do Vinho
O antigo edifício do IVV (Instituto da Vinha e do Vinho) de Torres Vedras vai ser transformado em Pólo de Inovação do Vinho e da Gastronomia.

     A apresentação do respetivo projeto aconteceu esta sexta-feira, dia 7 de junho, no edifício a intervencionar, por Carlos Martins.

   Recorde-se que a Câmara Municipal de Torres Vedras adquiriu há alguns anos as antigas instalações do Instituto da Vinha e do Vinho, construídas em 1948, um complexo edificado com valor patrimonial muito significativo. A refuncionalização deste espaço constitui uma oportunidade histórica para promover a regeneração urbana e económica de uma área importante da Cidade de Torres Vedras e para o reforço da centralidade do Concelho de Torres Vedras ao nível regional e nacional, nos planos cultural, científico, empresarial e turístico.

   O futuro Pólo de Inovação do Vinho e da Gastronomia pretende-se que seja uma estrutura polinuclear, em diálogo com a paisagem e suportada em rede por outros centros de interpretação, investigação, mediação e empreendedorismo, nos planos regional, nacional e internacional. Fornecerá contexto de colaboração para o fomento de novas soluções participadas pelo setor científico e tecnológico e setor empresarial, em resposta aos desafios societais de hoje. Relevará a cultura da vinha e do vinho, o seu potencial para a economia, o conhecimento, o turismo e a cultura, contribuindo para a execução das agendas regionais. Englobará toda a cadeia de valor do setor agroalimentar, sob o sentido amplo de cultura gastronómica – património de saberes e rituais que afirmam uma identidade territorial.

   O processo de criação do Pólo de Inovação do Vinho e da Gastronomia teve início em 2017, estando relacionado com a candidatura apresentada pela Câmara Municipal de Torres Vedras ao Laboratório Colaborativo para a Inovação Digital na Agricultura. Os destinatários pensados para este equipamento são: o setor científico e tecnológico, o do turismo, o sistema empresarial e empreendedor e o setor cultural e criativo.

    Este polo contará com um conjunto de valências, a saber:
- um centro de interpretação, com uma exposição permanente (de que constará um núcleo sobre o património arquitetónico do respetivo espaço e do IVV, um outro sobre a cultura vitivinícola e gastronómica do território envolvente, um núcleo de exposições temporárias e ainda uma oferta enogastronómica também da região) e um arquivo e documentação (o que inclui um arquivo especializado, um arquivo de memória coletiva e de construção contínua, a produção de pensamento e discurso e o mapeamento dos recursos do território);
- uma Colab, que será constituída por um centro de investigação aplicada (centro gerador de soluções digitais inovadoras para a agricultura, com enfoque na horticultura, fruticultura e viticultura) e laboratórios especializados (Smart Equipment Lab, Fruit Lab, Wine Lab, Horto Lab, Socio&Territorial Lab, Inovation&Business Lab e Sustainability & Quality Lab), que contarão com ligações a redes internacionais (Future Food, Unesco Creative Cities Network e Gastronomic Cities European Network);
- uma incubadora que se constituirá como um centro de suporte a empreendedores emergentes, a qual proporcionará a facilitação de infraestruturas, serviços e programas (composta por escritórios com espaços individuais e em coworking, infraestruturas comuns, serviços de apoio empresarial, networking, programas de mentoria e lançamento de negócios);
- unidades de comércio e oficinas (o que inclui oferta comercial, com uma unidade de alojamento hoteleiro, restauração e serviços e produtos gastronómicos de valor acrescentado, bem como oferta educativa e cultural, que passa pela existência de uma cozinha e uma horta comunitária, um FabLab culinário, programas educativos e culturais, visitas educativas ao território e à sua cadeia de produção alimentar e atividades de sensibilização para a gastronomia sustentável e saudável).

    De referir, ainda, que as instalações da Comissão Vitivinícola da Região (CVR) de Lisboa, da VITICER – Associação Nacional de Viveiristas Vitícolas e da AATV – Associação de Agricultores de Torres Vedras irão permanecer em funcionamento no antigo espaço de Torres Vedras do IVV.
 
    Fonte: AC|CMTV
13-06-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o