Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda com a exploração de lítio em Portugal?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 44 Director: Mário Lopes Terça, 1 de Junho de 2004
Opinião
É tempo do Euro 2004

 José Eduardo Reis de Oliveira (DCR)* 

Maio foi o mês do coração.
Junho e (alguns dias) de Julho vão ser os meses do futebol.
Vai ser uma maratona de futebol - 31 jogos no período compreendido entre 12 de Junho e 4 de Julho de 2004!
Fora os tempos de compensação e eventuais prolongamentos vão ser 2.790 minutos de futebol!
Para quem gostar do "desporto- rei" vai ser um mês de arromba.
Para quem não gostar... vai ser melhor sair do País.
Julgo mesmo que é tempo de fazer um "aviso à navegação":


Avós, mães, esposas, namoradas, filhas e netas deste país os vossos netos, filhos, maridos, namorados, pais e avós só vão ter olhos para a televisão, só vão ter tempo para se deslocarem aos dez novos estádios e, nos "intervalos", só vai dar para... ler jornais, rever na televisão os golos e os lances polémicos ...e... falar de futebol!!!
Melhor dizendo... vão ser três semanas em que a língua oficial do País vai ser ... futebolês!
Vai ser, definitivamente, um tempo de futebol.
Que seja uma festa... dentro e fora dos Estádios.

Quem vai ganhar? Quem vai perder?
Prognósticos só mesmo no final dos jogos.
Esta incontornável verdade - ao que consta da responsabilidade do antigo defesa esquerdo do F.C. do Porto, João Pinto, de seu nome - continua válida e duradoira!!!
Posto isto vamos arriscar algumas opiniões do que se poderá passar dentro e... fora das quatros linhas!...

Fora das 4 linhas:

1. Os Estádios

a. Está tudo dito ... ou quase sobre este assunto. Somos daqueles que achamos um exagero a construção de 10 (dez) estádios quando 6 (seis) teriam chegado. Alguns estádios irão ter a sua lotação esgotada para dois jogos do Euro e depois decorrerão anos até que certas filas das bancadas voltem a ser ocupadas. E a manutenção destes Estádios por autarquias e clubes endividadas até aos cabelos!? Ficaremos satisfeitos se nos enganarmos mas... vão haver lugares em que, ao longo do tempo, irá crescer ... relva! Pode ser que esses "canteiros suspensos" venham a servir para transplantes de relvados ...carecas!

b. Entretanto pode ser que se venham a disputar "Jogos Médicos Europeus" e se forem precisos 6 (seis) Hospitais construam então 10 (dez)!

2. As acessibilidades

a. Num recente programa de televisão do Canal 1 (Prós e Contras) fomos surpreendidos com a existência de um Engenheiro responsável pelas "acessibilidades". Pode ser que resulte, mas no que respeita a este tema, estamos um pouco "euro cépticos". Aqui contamos sinceramente com a paciência e resistência das gentes da "tribo do futebol".

b. Pois se há gente que é capaz de estar 40 (quarenta) horas numa bicha para comprar bilhetes (jogo Porto - Mónaco da Liga dos Campeões) e o afirmam orgulhosamente quando entrevistados pela TV... tudo irá correr bem na forçosa lentidão dos acessos aos novos estádios!!!

3. Os custos

a. Com ironia corrosiva o jornalista do DN Carlos Quevedo referia recentemente (Suplemento do Diário de Notícias nº. 390, de 21 de Maio de 2004) que o EURO nos custou até agora" meio submarino" (como aqueles dois que vamos comprar), o que até nem é mau se tivermos em atenção que a Alemanha vai gastar o dobro e a Suiça e a Áustria irão gastar oito vezes mais na organização do próximo Europeu!

b. Altamente preocupante é o endividamento de algumas Autarquias (nomeadamente a da nossa capital do Distrito) que já consumiram orçamentos para lá do ano 2020!!! Para ajudar à festa o Tribunal de Contas considerou ilegal o contrato entre a União de Leiria, SAD e a Câmara leiriense para a utilização por dez anos do novo estádio da cidade. Por estes lados vão mesmo ser precisos milagres e... para já só vai havendo a "Ribeira dos Milagres" que, como é sabido, não é "flor que se cheire"...

c. Se isto não é irresponsabilidade ... aquele conhecido Hospital da Avenida do Brasil, em Lisboa, está cheio de gente com juízo !!!

4. A segurança

a. Depois de vermos a actuação (em directo) daquele polícia no Estádio de Alvalade (a quando do último Sporting-Benfica) a "filar" - sem deixar cair o seu boné regulamentar - o rapaz da JuveLeo que ia "festejar o golo do SLB" estamos tranquilos. Façam passar aquelas imagens junto das claques com mais má fama (e proveito) nas confusões dos recintos desportivos (Inglaterra e Alemanha) e...estamos conversados. Elas terão um efeito altamente dissuasor!

b. Idem aspas em relação aos operacionais do carro de jactos de água anti-motim. Depois de os vermos a encharcar ministros numa sessão de apresentação quem é que se vai meter com eles?!

5. As estatísticas oficiais/a cobertura jornalística e o "os nossos comentadores patrioteiros".

a. Com as estatísticas Oficiais BenQ os adeptos do futebol irão ter acesso à maior quantidade de dados jamais produzidas num torneio de futebol Todos os passes, faltas, intercepções, remates, faltas cometidas, faltas sofridas, passes, cruzamentos, etc. estarão à distância de um clique. Para além disso, poderão ser comparadas a produção das equipas no que respeita a golos marcados, assistências, oportunidades de golo, em que zona e como foram marcados os golos, etc., etc. Para ter acesso a todos estes dados navegue em .

b. Em relação aos nossos comentadores de televisão e rádio não estamos tão tranquilos pois irritam-nos (e assustam-nos) o tom exacerbado e "patrioteiro" que normalmente utilizam em jogos em que interfere a selecção portuguesa. Aliás já ouvimos criticar (e estamos inteiramente de acordo) com a mensagem que se está a passar que Portugal vai ganhar. É uma forma de pressão nada saudável e que pode levar a exageros incontroláveis se ... alguma coisa (em termos desportivos) correr mal. Os comentadores podem - e devem - ter um papel isento, profissional e apaziguador em todo este processo. Haja calma e bom senso se a equipa de Portugal não vencer todos os seus encontros.

6. A nossa capacidade de improvisação

A nossa lendária e nunca desmentida capacidade de improvisação vai surpreender os nossos visitantes e, mesmo em cima da hora, tudo vai funcionar. E... se alguma coisa falhar alguém se há de lembrar de... improvisar uma solução. E se for precisa uma boa desculpa para algum falhanço não coberto pela "nossa" capacidade de improvisação também não somos nada maus em justificações e/ou desculpas a nível de altas patentes militares. E se for necessário também teremos sempre um político de reserva!...
Depois falamos ... a quando balanço final deste "nosso" EURO 2004.

7. A nossa hospitalidade

A nossa hospitalidade - não confundir com falta de hospitais!... - vai também funcionar pois é espontânea e não precisa de ensaios prévios. Também neste item é pôr um sinal de "visto".

8. O sol, a boa comida e os bons vinhos
Há neste assunto alguma coisa que enganar?!
Aqui só nos preocupa que haja alguns exageros em termos de preços. Será bom que os operadores de turismo não abusem e não se esqueçam que... podem comer só por uma vez! Infelizmente as suspeitas de especulação com hotéis já passaram a fronteira e teme-se que a ganância de uns tantos possa matar a galinha de "apitos dourados", digo, a galinha de ovos de ouro!

9. As belezas naturais, os monumentos e os museus

a. Em relação às nossas belezas não vamos defraudar ninguém, pois elas existem e não são mistificação.

b. Quanto a monumentos e museus, não estamos tão tranquilos pois temos impressão que muitos dos nossos visitantes irão ser vítimas do nosso "apertado rigor" de horários no que respeita a visitas a monumentos e museus e... irão bater com o nariz em portas fechadas. Esperamos estar enganados ...

10. Alcobaça, os dois jogos de Leiria e os visitantes.

Temos os defeitos e as virtudes de outras zonas turísticas de Portugal.
Em 13 de Junho teremos no Estádio de Leiria o Suiça-Croácia (pelas 17H00) e em 17 do mesmo mês, (pelas 19H45), será jogado o Croácia-França.
Vamos com certeza ter a visita de muitos apoiantes destas equipas e será desejável que o Mosteiro de Alcobaça possa receber (e guiar) todos os estrangeiros (e portugueses), que nos visitem e que os nossos comerciantes prestem o melhor serviço a todos estes turistas um pouco diferentes. Há que ter em conta que são adeptos de futebol, eventualmente um pouco irreverentes, que terão que ser tratados com calma, civismo e... paciência.
Quanto a Museus... temos os "virtuais" (vem-nos sempre à lembrança "A Casa Museu Vieira Natividade") e os outros: os Museus das Fábricas Atlantis (em Casal da Areia-Maiorga) e Raul da Bernarda (em Alcobaça) e ainda o Museu do Vinho (à Ponte Jardim-Alcobaça), que é capaz de interessar especialmente aos apreciadores (esperamos que moderados) dos bons vinhos portugueses!

Dentro das 4 linhas:

1. As Equipas
i. As 16 equipas concorrentes estão agrupadas em 4 grupos.
ii. O Grupo A engloba as selecções de Portugal, Espanha, Grécia e Rússia. O Grupo B é constituído pela França, Suiça, Inglaterra e Croácia. No Grupo C vão defrontar-se Suécia, Dinamarca, Bulgária e Itália. E finalmente no Grupo D estarão em confronto as selecções de Rep. Checa, Alemanha, Letónia e Holanda.
iii. Na primeira fase cada selecção fará 3 jogos e ficarão apurados para a fase seguinte - quartos-de-final - os 2 primeiros classificados de cada Grupo.
iv. As 8 equipas apuradas para os quartos-de-final jogarão um único jogo e quem vencer passa às meias finais. Nesta fase da Prova as 4 equipas apuradas disputarão também um único jogo e passam à grande final os vencedores.
v. Para chegar ao Estádio da Luz, em 4 de Julho de 2004, os dois finalistas já terão efectuado 5 (cinco) jogos.

2. As arbitragens e o apito dourado.

i. Os 12 (doze) árbitros que vão estar no Euro-2004 constituem a elite da classe e com a sua categoria, e também com a força da UEFA a "ampará-los", vão com certeza produzir bom trabalho. Lucílio Batista é o representante da arbitragem portuguesa, e terá em Paulo Januário e José Cardinal, os árbitros assistentes. Irão actuar grandes nomes da arbitragem europeia como são, entre outros, Pierluigi Collina, Urs Meier, Gilles Veissiére e Kim Nielsen.
ii. Embora se trate da mesma modalidade que se joga nos Campeonatos do nosso "mercado interno" estamos convencidos que vamos assistir a arbitragens muito diferentes das que estamos habituados a assistir por cá. Queremos com isto dizer que as regras vigentes vão ser aplicadas e que as faltas que dão cartões no Euro e que não dão nos nossos Campeonatos têm efectivamente a ver com "os apitos dourados". Os nossos árbitros sabem as regras, mas apitam em função das camisolas. E beneficiam sempre os mesmos. Não é preciso obviamente dizer nomes de clubes. Todos os adeptos do futebol sabem...
iii. Esperemos que efectivamente se registem boas arbitragens para bem da verdade desportiva e que para memória futura aproveite à arbitragem portuguesa.

3. A necessidade de disciplina

Espera-se e exige-se um comportamento exemplar dos jogadores portugueses. Não podem voltar a acontecer as lamentáveis cenas de Campeonatos anteriores com o estômago do árbitro a embater no punho de João Pinto ou com os truques de Abel Xavier e companhia no França-Portugal de um Europeu de triste memória.

4. A selecção de Portugal

O seleccionador, os eleitos de Luiz Felipe Scolari e o super mistério de Vítor Baía
Sinceramente apreciamos o nosso seleccionador pelo seu carácter e frontalidade. Afrontou desde cedo "os papados do Reino" e encarou as críticas sem dramatismo. E bem pode sorrir quem tem o seu alto salário e na sua "mala" pessoal um título de campeão do mundo! Esperamos que seja o último a rir nesta saga "cheia de enredos" que é o futebol português.
Quanto aos seleccionados não estamos 100% de acordo, mas também é verdade que os nossos conhecimentos têm a ver com a literatura dos jornais desportivos e com os jogos que vimos do nosso sofá.
Devido aos problemas físicos que foram notórios nos últimos jogos pelo Benfica não seleccionaríamos Tiago e daríamos preferência a Meira. Também temos pena da não inclusão de Luís Boa-Morte mas também sabemos que não podem jogar todos. A veterania de Rui Costa também não nos dá todas as garantias, mas Scolari já demonstrou que não joga só com "nomes" pelo que lhe damos o benefício da dúvida.
Quanto a Vítor Baía não percebemos porque não está entre os guardas redes seleccionados. Esse é mesmo um mistério que só Scolari, se quiser, poderá esclarecer. Aliás, e no que respeita a guarda-redes, as suas performances têm muita ver com os defesas que têm à sua frente. É por isso mesmo que acho que o melhor guarda-redes português é neste momento Moreira que tem, no entanto, um "grande defeito": tem apenas 22 anos!

5. A "minha" selecção e o que pode fazer a diferença

Nestas coisas de futebol há em cada um de nós um seleccionador e, como não podia deixar de ser, também temos uma selecção, que passamos a anunciar. Ricardo na baliza; na defesa Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Fernando Couto e Rui Jorge; no meio campo, Deco , Petit e Costinha: avançados: Figo, Pauleta e Simão.

Como primeiros suplentes, punha no banco: Moreira, Miguel, Maniche, Rui Costa e Nuno Gomes.

A diferença nesta selecção - mais uma vez na minha opinião de "seleccionador amador" - poderá ser feita por 4 jogadores se estiverem super inspirados:- Deco, Figo, Pauleta e Simão. Têm imaginação e futebol "dentro de si" que podem levar longe a nossa selecção.

6. O grupo A e os quartos-de-final.
a. Em futebol tudo pode acontecer, mas não nos parece optimismo exagerado vaticinar a passagem à fase seguinte das selecções de Portugal e Espanha. Daí para a frente tudo pode acontecer e até a sorte do sorteio pode ajudar. Mas... mais vez... o mais seguro é fazer prognósticos no final dos jogos!

7. As incertezas do futebol/os manhosos/ os piscineiros e os "cavadores de faltas"

a. As incertezas são dos "encantos" do futebol e nada temos contra...
b. Quanto aos "manhosos", "piscineiros" e "cavadores de faltas" aqui já estamos frontalmente contra. A actuação dos árbitros é decisiva nesta matéria mas temos que reconhecer que no futebol actual há "artistas" exímios que só são apanhados nas "repetições" das televisões. E como os árbitros tem que decidir numa fracção de segundo e sem a ajuda da televisão ... o "crime vai continuar a compensar"!
c. Só com alteração das "leis do futebol" e com a ajuda de mais árbitros ou meios televisivos este estado de coisas poderá melhorar.

Conclusões finais:

Que a nossa auto-estima se mantenha em alta...e mais que o bom futebol da nossa selecção... que Portugal fique na recordação de quem nos visitou como um país de gente boa, hospitaleira, cordata, onde valerá a pena voltar num futuro próximo.

E no que respeita a futebol ... e sem patriotismos doentios ... que ganhe o melhor.

José Eduardo Reis de Oliveira
*DCR - Defesa Central Reformado

01-06-2004
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Voando sobre um ninho de cucos
OPINIÃO
Regionalismo e urbanismo nos romances de José de Alencar
Condomínios de Portugal, S. A.
Revitalizar a forma de pensar um centro histórico
Caldas com ambição!
Nem mais um soldado da GNR para o Iraque!
Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (Fev./ 2001) (Primeiras Impressões, Comentários e Reparos) - Recapitulação - XXIV Série
É tempo do Euro 2004
Por uma política pública de Ambiente
A importância do Euro 2004 para a região de Leiria
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o