Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
De momento não existem Sondagens activas.
Ver Sondagens Anteriores
Edição Nº 230 Director: Mário Lopes Sábado, 7 de Março de 2020
Com a presença da delegada de Saúde Helena Sousa
Município do Cartaxo reúne Proteção Civil
para criar plano de contingência ao coronavírus
   
                         Reunião da Proteção Civil do Cartaxo
A Comissão Municipal de Proteção Civil reuniu, no dia 2 de março, no Centro de Promoção Vitivinícola, na Quinta das Pratas, para debater o plano de resposta do Município ao COVID-19, o novo coronavírus. A sessão contou com a presença e esclarecimentos da Delegada de Saúde Helena Sousa. Foi criado um email especifico para questões relacionadas com o coronavírus e serão feitas sessões de esclarecimento descentralizadas, como informou o presidente da Câmara Municipal do Cartaxo Pedro Magalhães Ribeiro.

   O coronavírus esteve em debate na Comissão Municipal de Proteção Civil, a que se juntaram os coordenadores técnicos do município, dirigentes associativos locais, assim como responsáveis das IPSS e das escolas do concelho, mostrando a preocupação que existe com o novo vírus que hoje viu confirmados os primeiros casos no país.

   A convocatória para esta reunião foi feita na sexta-feira, dia 28 de fevereiro, pelo presidente da Câmara Municipal Pedro Magalhães Ribeiro, quando a presença do vírus em Portugal não estava ainda confirmada, “mas havia a certeza de que seria uma questão de tempo, não vivemos numa ilha isolada do resto do mundo”.

    “Ainda que o alarmismo não seja bom conselheiro, convém estarmos preocupados e prevenidos ao máximo, nomeadamente no que toca à proteção dos nossos concidadãos e à prevenção da população de risco”, explicou o autarca na abertura da sessão.

   A reunião contou com a presença da Delegada de Saúde Helena Sousa, que trouxe aos presentes algumas apresentações com a informação que a Direção Geral de Saúde (DGS) dispõe até ao momento. “Ainda há muitas incertezas, há muito por descobrir, e todos os dias a informação pode ser atualizada”, assegurou.

   A própria definição de caso suspeito tem vindo a sofrer ajustamentos ao longo dos dias, explicou a Delegada de Saúde, sendo que a atual, para além do quadro clínico com febre, tosse e dificuldade respiratória, prevê “alguma relação epidemiológica a uma área com a doença ativa, uma história de viagem a países com transmissão comunitária ativa, que neste momento não é apenas a China, mas também o Médio Oriente e, na Europa, Itália; ou um contacto com um caso confirmado da doença ou se é o profissional de saúde que esteve em contacto com um caso confirmado”.

   A Delegada de Saúde reforçou, ao longo das suas apresentações, as formas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde, e reiteradas pela DGS, para proteção e prevenção: a adoção de medidas de etiqueta respiratória (tossir com lenço de papel ou com o cotovelo fletido); a correta higienização das mãos (lavar frequentemente com água e sabão ou utilizar soluções com álcool); e algum distanciamento social (evitar contacto com pessoas com infeções respiratórias ou cumprimentos mais próximos).

   Também presente nesta sessão, o Técnico de Saúde Ambiental Sérgio Lourenço também falou sobre o tema aos presentes, lembrando, uma vez mais, aquilo que, para já, se sabe sobre o vírus e dando a conhecer o atual plano de contingência do Centro de Saúde do Cartaxo.

   Este plano inclui várias medidas de prevenção mas também de ação, caso o Centro de Saúde seja confrontado com um caso suspeito de coronavírus, que inclui diversas possibilidades, “desde a manifestação da preocupação aos técnicos do atendimento até ao caso em que o doente só manifesta a possibilidade de estar infetado perante um médico, o que transformará o gabinete deste na sala de isolamento recomendada pela DGS”.

   Também a preparar o plano de contingência para o Município e para os edifícios da responsabilidade deste, está Serviço Municipal de Proteção Civil, em conjunto com o Gabinete de Segurança e Higiene no Trabalho, tal como assegurou a coordenadora da área da Proteção Civil do Município Ana Coelho.

   A coordenadora afirmou ainda estar em contacto com os responsáveis ali presentes da área da saúde para a promoção de diversas sessões de formação, prestação de informação e esclarecimento de dúvidas, não apenas aos funcionários da Câmara Municipal, mas também às escolas, às IPSS e aos munícipes que manifestem interesse.

  Estas sessões, que serão também promovidas de forma descentralizada, nas várias freguesias do Município, chegarão a todos os munícipes, mesmo que estes não se possam deslocar aos locais definidos, uma vez que serão transmitidas no canal de Youtube do Município, “aproveitando o potencial da internet e das redes sociais”, como esclareceu o presidente da Câmara Municipal.

   Nesse sentido, o autarca informou também que foi já hoje criado um email para esclarecimento de dúvidas, “para direcionar estas questões corretamente e para podermos trabalhar de forma célere e próxima, como a situação exige – sos.coronavirus@cm-cartaxo.pt”.

  Pedro Magalhães Ribeiro informou ainda que os planos de contingência serão depois levados a esta Comissão Municipal, “pois é da máxima importância sabermos todos o que fazer perante uma situação suspeita, e havendo aqui representantes de quase toda a nossa comunidade, estamos conscientes de que este é um risco possível”.

   No final da sessão, o autarca manifestou também preocupação com os eventos que estão agendados a curto e médio prazo, com organização do Município, como o Cartaxo Youth Summit e a Festa do Vinho, “que exigem ponderação, tal como outros estão a ser ponderados, concelho a concelho, país a país – vamos, em conjunto, avaliar se, perante a evolução desta situação, teremos de cancelar ou adiar”.

   O COVID-19


   O novo coronavírus, intitulado COVID-19, foi identificado pela primeira vez em dezembro do ano passado na Cidade de Wuhan, na China. A infeção causada pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como uma doença mais grave, como pneumonia. Ainda que a via de transmissão não seja conhecida, sabe-se, para já, que existe transmissão pessoa a pessoa.

   Com o número de infetados a aumentar em vários países, a Organização Mundial de Saúde declarou Emergência de Saúde Pública Internacional, levando países como Portugal a aumentar a vigilância para diagnosticar rapidamente possíveis novos casos de COVID-19.

  Nesse sentido, a Direção Geral de Saúde (DGS) emitiu orientações para que as empresas estabeleçam um plano de contingência para responder a um cenário de epidemia por este novo coronavírus, envolvendo, na sua elaboração, os serviços de saúde e segurança e do trabalho, os trabalhadores e os seus representantes.

   Entre outras medidas, este plano deve prever o estabelecimento de uma área de isolamento e formas de chegar até à mesma, procedimentos específicos de prevenção e de atuação perante casos suspeitos, a definição de responsabilidades nos vários processos, a identificação de profissionais de saúde e respetivos contactos, e informação importante a transmitir aos trabalhadores.

   É de forma a dar resposta a todas estas medidas que o Município está a trabalhar, como afirmou Pedro Magalhães Ribeiro, “de forma serena, com base naquilo que fizemos também para a Gripe A, convictos de que uma boa avaliação da situação permitirá dar a resposta que temos de dar à comunidade”.

   A DGS lançou recentemente um microsite sobre o Covid-19, onde é possível acompanhar a evolução da infeção em Portugal e no mundo, e esclarecer dúvidas sobre a doença - www.dgs.pt/corona-virus .

   Câmara prepara Plano de Contingência para prevenção do Coronavírus

  A Câmara Municipal da Marinha Grande encontra-se a elaborar o Plano de Contingência, no âmbito da prevenção e controlo de infeção por novo Coronavírus (COVID-19), em cumprimento do Despacho n.º 2836-A/2020, de 2 de março.

  Entretanto, é pedido aos trabalhadores do Município e à população que adotem as medidas preventivas, recomendadas pela Direção Geral de Saúde, nomeadamente:

Lavar frequentemente as mãos, com água e sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos;
Reforçar a lavagem das mãos antes e após a preparação dos alimentos, após o uso da casa de banho, e sempre que as mãos lhe pareçam sujas;
Utilizar lenços de papel, de utilização única, para se assoar;
Deitar os lenços usados no caixote do lixo e de seguida lavar as mãos;
Tossir ou espirrar para o braço com o cotovelo fletido, e não para as mãos;
Evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca com as mãos sujas ou contaminadas com secreções respiratórias.
 
    Fonte: GIC|CMC
07-03-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Cuidados a ter com a postura em situação de teletrabalho
Dr. Francisco Oliveira Freitas
A importância do uso racional dos antibióticos
Dr. Ricardo Jorge Silva
Entrar na primavera com bons olhos
Dr. Raúl Sousa
Sugestões de viagem pela nossa região no verão
Por Andrew Balza
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o