Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda que a "Geringonça" morreu?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 84 Director: Mário Lopes Domingo, 28 de Outubro de 2007
Feliciano Barreiras Duarte entra na direcção do PSD
Leiria e Oeste elege cinco representantes
para o Conselho Nacional do PSD

      Paulo Batista Santos (Batalha), Paulo Inácio (Alcobaça) e Aristides Sécio (Cadaval) foram eleitos para o Conselho Nacional do PSD na lista B, liderada por Manuel Castro Almeida, presidente da Câmara de S. João da Madeira. Eleitos pela lista A foram Maria Ofélia Moleiro (Pombal) e Feliciano Barreiras Duarte (Bombarral), tendo este assumido ainda uma das vice-presidências da direcção do PSD. Miguel Goulão, natural de Caldas da Rainha, foi também eleito, mas em lista própria. Luís Ribeiro, presidente da Assembleia Municipal de Caldas da Rainha, foi eleito pela lista B para o Conselho de Jurisdição Nacional. A lista A, encabeçada por Mota Amaral, elegeu 20 conselheiros nacionais contra 16 da lista B.

Proposta temática "Afirmar Leiria num Portugal moderno e competitivo" foi aprovada em Congresso do PSD
 
      A proposta temática que a Comissão Política Distrital de Leiria decidiu levar ao XXX Congresso Nacional do PSD, realizado em Torres Vedras, foi aprovada pela maioria dos Congressistas. Sob o título "Afirmar Leiria num Portugal moderno e competitivo", coube a Fernando Marques, Presidente da Comissão Política Distrital de Leiria, apresentar os fundamentos do documento ao Congresso do PSD.

      Leiria e a sua região são retratadas ao longo dos cinco capítulos da Proposta Temática, onde se afirma que Leiria é uma região dinâmica e em crescente progresso, tendo como grande motor do seu desenvolvimento a capacidade criativa, empresarial e laboral das suas populações.    
 
      No capítulo da avaliação do Governo Socialista, o documento traça um cenário negativo em vários domínios, como a redução do investimento público, o aumento do desemprego e a falta de apoio às empresas, menos condições e Serviços de Saúde, pior Educação, menos Segurança e Justiça deficitária, Ambiente comprometido, críticas à nova Lei das Finanças Locais e relevam o seu desencanto da proposta para o próximo quadro comunitário de apoio, vulgo QREN, com críticas ao modelo de gestão centralista e governamentalizado que o Governo Socialista impôs às autarquias locais e iniciativa privada.

      O PSD de Leiria identifica novos contextos para afirmar a Região, definido que o processo de reorganização administrativo do Estado em curso, designado pomposamente pelo Governo como Programa  PRACE, mais não é que uma tentativa de regionalização encapotada, sem rigor nem critério.

      Neste capítulo, defende, entre outras  propostas, a uniformização dos serviços públicos, seguindo critérios coerentes e com base regional, exigindo que Leiria seja contemplada neste processo de "descentralização" dos serviços públicos. Concretiza mesmo, neste âmbito, que a instalação em Leiria da Direcção Regional do Ambiente do Centro seria uma boa solução, constituindo, além disso, um sinal claro e inequívoco do envolvimento do Governo na resolução do problema da poluição da Bacia Hidrográfica do Ris Lis, sucessivamente prometida e permanentemente adiada.
    
      Ao nível das propostas estruturantes para a região, o PSD do distrito de Leiria reclama para a região a rápida conclusão do Plano Rodoviário Nacional, o apoio às pequenas e médias empresas, o reforço dos incentivos à contratação e medidas de combate ao desemprego, o apoio a políticas activas de combate à desertificação do interior, a concretização de projectos nacionais com relevante impacto regional, como é o exemplo a construção do futuro aeroporto internacional e a reformulação das propostas de reorganização dos serviços públicos.

      Outras prioridades para a região são identificadas como essenciais na proposta do PSD de Leiria, como a afirmação da ruralidade, a aposta estratégica no turismo, a valorização do capital humano e a opção pelos valores ambientais e culturais.

 

 

28-10-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A escola da Calçada de Carriche
Mário Lopes
OPINIÃO
Portugal e as Migrações: “Novos e Velhos Desafios”
Henrique Tigo
O Arquitecto Eugénio dos Santos
Luís Rosa
A nova cruz alta de Fátima
D. Serafim Ferreira e Silva
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o