Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O Estado deve deixar de financiar escolas privadas e cooperativas?
Sim
Não
Só escolas privadas
Não sei / talvez
Edição Nº 197 Director: Mário Lopes Quinta, 16 de Março de 2017
Aniversário da Escola contou com a presença do secretário de Estado da Educação
Câmara reivindica intervenção urgente
na Escola Secundária do Cartaxo

               Secretário de Estado visitou escolas do Cartaxo
  O Agrupamento de Escolas Marcelino Mesquita do Cartaxo assinalou o XIII Aniversário com um conjunto de atividades que envolveu alunos e professores ao longo de todo o dia 13 de março. O aniversário contou com a presença do secretário de Estado da Educação, João Costa, que foi recebido na Escola Básica José Tagarro, passou pela Escola Básica Marcelino Mesquita e terminou a visita na Escola Secundária do Cartaxo.

   Pedro Magalhães Ribeiro reforçou a necessidade de administração central executar obras urgentes na Escola Secundária do Cartaxo que “está ao serviço da educação há 37 anos e nunca teve qualquer obra de beneficiação ou melhoramento das instalações, para além daquelas que a direção conseguiu executar”.

   O autarca afirmou que “caso exista a possibilidade de obter comparticipação de 85% para as obras, através do acesso aos fundos comunitários, esta não pode ser perdida”, pelo que, embora o ensino secundário esteja excluído “do nosso âmbito de intervenção, já nos disponibilizámos para avaliar a nossa participação com 50% da contrapartida nacional que será necessária para que as obras sejam asseguradas”.

   João Costa, Secretário de Estado da Educação reconheceu estar “consciente das necessidades da Escola”, afirmando que o Ministério da Educação “está a trabalhar com a Câmara Municipal” na procura de soluções para o estabelecimento de ensino.

   “A administração central, o governo, continua a deter a competência total sobre o ensino secundário”


   A presença do secretário de Estado da Educação foi motivo para “relembrar que a administração central, o governo, continua a deter a competência total sobre o ensino secundário”, afirmou Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, que acompanhou a visita do governante. Para o autarca a presença do Secretário de Estado da Educação na Escola Secundária foi importante para “que pudesse comprovar aquilo que a direção do Agrupamento, a Associação de Pais e Encarregados de Educação, a Associação de Estudantes, a Assembleia e a Câmara Municipal vêm reivindicando há muito, a necessidade urgente de obras neste estabelecimento de ensino”.

   Pedro Magalhães Ribeiro afirma que “o facto de a Câmara não ter possibilidade de intervir no espaço” por o ensino secundário estar fora do âmbito das competências municipais, “deixa-nos duas possibilidades, exercer a nossa capacidade de influência junto do Governo, junto da administração central, o que temos feito com veemência, e de nos constituirmos como parceiros na procura de uma solução financeira que permita à administração central intervir o quanto antes, o que também já fizemos” – referindo-se á disponibilidade de a Câmara Municipal avaliar a possibilidade de financiar 50% da contrapartida nacional, num eventual processo de intervenção que seja financiado por fundos comunitários.

   A Escola Secundário do Cartaxo chegou a estar incluída na “terceira fase de intervenções previstas no âmbito da Parque Escolar”, explicou o presidente da Câmara, mas “o anterior governo do PSD/CDS-PP suspendeu o plano de investimentos dessa empresa sem ter considerado qualquer alternativa para as obras necessárias e urgentes, como são as da nossa Escola Secundária”. Esta falta de solução a curto prazo foi abordada pelo executivo, “com veemência, em reunião realizada no âmbito da CIMLT, a 3 de maio de 2016, com a Secretária de Estado da Educação, Alexandra Leitão, e junto do gabinete do senhor Ministro da Educação, no sentido de se encontrar uma solução urgente”, que permita fazer “corresponder as condições de ensino e aprendizagem à excelência de resultados obtidos ano após ano pela Escola Secundária e pelo Agrupamento”.

   No que se refere aos estabelecimentos de ensino no âmbito das competências na área da educação atribuídas à autarquia, Pedro Magalhães Ribeiro referiu que “desde o início do mandato, temos executado obras nas escolas do ensino básico de todo o concelho, quer por intervenção direta, quer através dos acordos de execução com as juntas, nas quais delegámos competências e atribuímos verbas para a manutenção dos equipamentos escolares”, a par do financiamento já orçamentado para obras de beneficiação na EB 2,3 de Pontével e da construção do Centro Escolar de Pontével, que representa “o maior investimento que faremos no âmbito do atual quadro comunitário de apoio”.

   Fonte: GC|CMC
16-03-2017
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Dia Mundial da Saúde reforça importância de prevenir a depressão
Dr. Joaquim Cerejeira
Mais “Europa"
Gonçalo Silva
Imagine a sua vida sem Google
Marta Jacinto
Este é o momento
Luís Querido
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o