Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem é responsável pelo conflito entre os motoristas e as empresas transportadoras?
Os motoristas
As empresas
O Governo
Outros
Não sei
Edição Nº 123 Director: Mário Lopes Sexta, 10 de Dezembro de 2010
Opinião
O Turismo no actual contexto económico
   
 


David Catarino

   Ao longo das últimas décadas, por diversas vezes, enfrentámos crises, na maioria sectoriais, que surgiam e eram debeladas, com medidas mais ou menos visíveis ou simplesmente com o passar do tempo, já que a nossa grande dependência externa e a possibilidade de desvalorizarmos o Escudo nos permitiam ir iludindo a fragilidade da nossa economia. Fomos vivendo do sucesso económico dos nossos parceiros comerciais.

   Em trinta anos de parceria europeia, com fluxos financeiros abundantes, melhorámos em muito o nosso modo de vida.

   Infelizmente, por culpa de governantes irresponsáveis que ainda continuam na ribalta como se nada tivessem a ver com o assunto, fomos conduzidos e estimulados a um forte endividamento público e privado, isto é, andámos a viver (não só a comer) fiado. Construímos uma qualidade de vida que não conseguimos sustentar.

   Abandonámos o sector produtivo, tornámo-nos um país de “doutores” e “engenheiros”, a maioria esmagadora da nossa população foi conduzida para modos de vida que procuraram fugir aos sectores primário e secundário, mas sem qualificação. Os imigrantes vieram fazer o trabalho que nós não queríamos fazer.

   Sempre arranjámos forma de contornar o trabalho, estimulando a mediocridade e a incompetência.

   Arranjámos diplomas de forma, no mínimo, duvidosa, estamos, ainda agora, a “dar boleia” a incompetentes através de um projecto que, na sua génese, tinha a boa intenção de reconhecer competências a alguns cidadãos que efectivamente as têm.

   Com a moeda única, o Euro, já não conseguimos disfarçar a nossa falta de produtividade e não temos coragem de alterar a legislação laboral.

   Acresce a todas as razões da nossa problemática interna a crise internacional que também conhecemos.

   Aqui chegados, entendemos que o nosso grave problema financeiro nunca terá solução se não houver medidas adequadas ao nível da economia.

   Numa linguagem simples, temos que poupar para pagarmos o que devemos.

   Ao nível do endividamento privado, é o único caminho, sacrificando anéis e tentando que fiquem os dedos.

   Quanto ao endividamento público, tal como o privado, é necessário reduzi-lo.

   O Estado só conseguirá pagar as dívidas se tiver cidadãos a pagar impostos. Para isso é necessário que a economia funcione.

   Infelizmente, parece que, daqui a pouco, teremos a maioria dos cidadãos a viver de subsídios, pior ainda, subsídios pagos com dinheiro emprestado.

   Estimular a economia é a acção prioritária para todos nós, no sentido de exportarmos o máximo e importarmos o mínimo.

   É neste contexto que entendemos ser o sector do turismo uma das vias estratégicas para aumentarmos as nossas exportações, estimulando a visita de estrangeiros, e diminuir as importações, procurando que os portugueses aumentem as receitas do turismo interno.

   Para favorecer este sector, importa que se tomem medidas que tenham efeitos concretos, ouvindo aqueles que têm experiência, acabando com medidas avulsas de políticos inexperientes que, na vida, só foram membros de uma “J” qualquer.
 
   Portugal tem recursos turísticos competitivos pela sua diversidade e qualidade.
   É necessário que os saibamos valorizar e promover junto dos mercados que têm maior apetência para cada um deles.
 
   Para o sucesso deste sector, é fundamental que tenhamos governantes com uma visão nacional, deixando de estar ao serviço de interesses regionais ou particulares.
   A Europa e Portugal estão carentes de estadistas. O turismo também.

   David Catarino
Turismo de Leiria-Fátima
10-12-2010
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Notas da campanha
Mário Lopes
OPINIÃO
Um Candidato a Presidente da República e Dois Candidatos à Segunda Volta
Jorge Esteves de Carvalho
Cavaco Silva: uma candidatura por Portugal
Paulo Batista Santos
Com Fernando Nobre a Presidente, Portugal será Diferente
Henrique Pinto
A candidatura de Francisco Lopes
Ricardo Miguel
Apoiar Manuel Alegre: Uma questão de dignidade e coerência
José Peixoto
A Carne do Bacalhau é Amarelada
Valdemar Rodrigues
Inauguração da Casa da Cultura de Mira de Aire: uma prioridade ou um elefante branco?
Por Aires de Miro
O Turismo no actual contexto económico
David Catarino
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o