Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Como classifica o nível da pandemia em Portugal?
Normal que haja surtos pontuais
Anormal e a culpa é do Governo
Anormal e a culpa é do comportamento das pessoas
Não sei
Edição Nº 234 Director: Mário Lopes Sexta, 17 de Julho de 2020
Leiria
Enterro do Bacalhau candidato às 7 Maravilhas da Cultura Popular
  
                                                       Cartaz
O Enterro do Bacalhau é um teatro de rua de cariz marcadamente pagão, que percorre as ruas da aldeia de Soutocico, na noite de Sábado de Pascoela, e termina numa monumental ceia de bacalhau.

   Imagine-se um cortejo fúnebre, pelas ruas da aldeia, com um matizado fantástico dos coloridos trajes, grotescamente iluminados pela infinidade de archotes que o acompanham.

   São mais de 300 figurantes e a participação dos espectadores potencia a prestação dos atores, conferindo ao evento uma dimensão e notoriedade ímpares. Uma experiência única, graticante e memorável, na corrida para as 7 Maravilhas da Cultura Popular.

   A próxima eliminatória que vai apurar o vencedor regional por Leiria tem lugar no dia 20 de julho, na Vila da Batalha, e será transmitida, em direto, pela RTP1.
A história do Enterro do Bacalhau

  Esta tradição começou devido à proibição do consumo total da carne (e outros prazeres) durante a Quaresma, por parte da Igreja Católica, que apenas abria exceção um precedente a todos aqueles que comprassem a bula.

   Só os mais abastados podiam pagar, enquanto os desfavorecidos, a grande maioria, teriam de se socorrer do peixe para a sua alimentação, durante as sete semanas da Quaresma. Sendo o bacalhau o peixe mais acessível na altura, logo se implantou nos lares dos pobres como sendo o seu salvador. O povo revoltou-se contra esta determinação e criou esta festividade pagã.

   Representado pela primeira vez no em 1938, o Enterro do Bacalhau depressa se tornou o ex-libris histórico-cultural da povoação, ainda que tenha sido proibido pelo regime de Salazar, a pedido das instâncias religiosas.

   Com a revolução de abril de 74, o Clube Recreativo e Desportivo do Soutocico decidiu reeditar o evento e, em 1976, o Enterro do Bacalhau voltou às ruas, após 38 anos de esquecimento.
17-07-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
O CEPAE e o Museu Nacional da Floresta
Adélio Amaro
Estatuária, Memória e Democracia
Leonor Carvalho
As grandes epidemias da História
Joaquim Vitorino
Dever de informar
Carlos Bonifácio
A Pandemia… dos ignorados
Dr. Joaquim Brites
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o