Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Leiria tem condições para ser Capital Europeia da Cultura?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 214 Director: Mário Lopes Segunda, 29 de Outubro de 2018
Projeto Estratégico 2018-2022 une a região no objetivo da melhoria dos cuidados de saúde
Modernização, diversificação e diferenciação são apostas do Centro Hospitalar de Leiria
  
                     Licínio de Carvalho e Hélder Roque 
Aposta no crescimento, modernização, diversificação, maior integração na região e na rede de cuidados de saúde, e diferenciação, são algumas das linhas definidas pelo Centro Hospitalar de Leiria (CHL) no “Projeto Estratégico 2018-2022. O documento, intitulado “Reflexão estratégica para uma nova visão institucional – Linhas de orientação”, foi apresentado a diversas entidades da região e do País nas últimas semanas, promovendo a união de todos em torno de um projeto de saúde, e tendo em vista perspetivar o que vai ser este Centro Hospitalar num futuro que se deseja próximo.

   «Com este documento, de forma sistematizada, detalhamos o caminho percorrido e o desenvolvimento futuro que a comunidade que servimos necessita, e que nos cumpre assegurar de forma organizada, estruturada e integrada nas redes de cuidados de saúde», explica Helder Roque. «Queremos criar uma dinâmica de planeamento de desenvolvimento estratégico, que concretize um novo ciclo para o CHL, na medida em que, sendo o futuro cada vez mais presente, é necessário identificar e prosseguir, claramente, as orientações e objetivos estratégicos que devem orientar as nossas ações», sublinha.

   O Projeto Estratégico 2018-2022 baseia-se num trabalho aprofundado sobre a envolvente, das necessidades dos utentes, e da própria evolução do CHL, para avançar com os objetivos futuros e as linhas que orientarão a atuação do Centro Hospitalar nos próximos anos. O documento surge da importância do planeamento numa instituição de saúde com clara vocação regional, que integra três hospitais e que serve uma vasta região (565,09 Km2), com uma população significativa (400.000 habitantes), em que se combina uma parte de utentes muito idosa e outra muito jovem e laboriosa, e em que é absolutamente crítico garantir o desenvolvimento sustentável, a todos os níveis.

   Começando por analisar o contexto, a evolução recente e a situação atual do CHL, o documento revisita os momentos mais marcantes da construção do Centro Hospitalar, nomeadamente com a edificação do Hospital de Santo André, e o processo de integração dos hospitais de Alcobaça e Pombal, em 2011 e 2013, respetivamente, com as consequentes alterações à dimensão e perfil da população servida e necessária adequação do perfil assistencial. O Projeto Estratégico foca ainda o papel e o posicionamento do CHL no contexto da rede hospitalar do SNS, afirmando a necessidade de reorganizar esta rede e atribuir ao Centro Hospitalar novas capacidades assistenciais.

   Não colocando de parte os desafios, mas colocando o enfoque nas oportunidades, o CHL perspetiva algumas áreas em que o Centro Hospitalar pode e deve evoluir, nomeadamente: a diferenciação de especialidades clínicas tendo em conta o alargamento da área de influência; a diversificação de soluções assistenciais inovadoras com equipas multidisciplinares alargadas; a alteração do quadro legislativo relativo à autonomia da gestão hospitalar; o incremento do quadro de pessoal técnico qualificado, com reflexos na qualidade organizativa; e a aposta na investigação e formação profissional.

   Analisada a situação atual, que serve de ponto de partida para o necessário planeamento que garanta um futuro de crescimento e sustentabilidade, o Projeto Estratégico propõe uma nova visão para o Centro Hospitalar de Leiria, focada no utente e na garantia da oferta de cuidados assistenciais de qualidade, em que se integra uma perspetiva renovada e atualizada em cinco dimensões: uma nova abordagem do papel assistencial do CHL; uma nova perspetiva da organização da prestação de cuidados; uma nova visão de cooperação interinstitucional; um novo modelo de gestão; e uma nova exigência de meios e de recursos.

   O CHL apresenta oito eixos estratégicos fundamentais que nortearão a sua atuação entre 2018 e 2022, e que refletem a visão renovada e atualizada para esta instituição. O CHL como unidade hospitalar de referência de toda a população da sua área de influência é o primeiro desses eixos, que implica colocar em ação medidas como o reforço do internamento, da área ambulatória e dos serviços de apoio.

   O segundo eixo aborda um CHL reforçado nas suas funções assistenciais, dotado de novas especialidades médicas, e com consolidação e alargamento da sua carteira de serviços, com foco na diversificação e diferenciação, e no alargamento da carteira de serviços, nomeadamente de Cirurgia Vascular, Doenças Infeciosas, Nefrologia, Reumatologia e Neurocirurgia. Um CHL dotado das instalações e equipamentos necessários ao desempenho das suas renovadas funções assistenciais é a terceira linha estratégica definida, de forma a aumentar a lotação, avançar com a remodelação do bloco operatório, criar uma Unidade de Cuidados Paliativos e uma Unidade de

   Cuidados de Convalescença.


   O incremento da articulação com a rede e cuidados do SNS é o quarto eixo estratégico apontado, nomeadamente com os cuidados de saúde primários, com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e com a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. A inovação na prestação e a melhoria dos cuidados é a quinta linha de orientação, através do alargamento do Hospital de Dia, o reforço da cirurgia ambulatória, em particular no Hospital Distrital de Pombal e no Hospital de Alcobaça Bernardino Lopes de Oliveira, da criação da Unidade de Hospitalização Domiciliária e do aumento da teleconsulta.

   O sexto eixo estratégico propõe um CHL com mais qualidade na organização e nos processos, com foco na manutenção da acreditação pela Joint Commission International, que tem desde 2012, no alargamento do número de centros de referência e na certificação de áreas específicas.

   Um CHL com recursos humanos motivados, nas quantidades necessárias e com as qualificações e competências apropriadas é o sétimo eixo apresentado, com aposta em quadros técnicos competentes, na crescente diferenciação e especialização e na promoção de programas de desenvolvimento e investigação. O oitavo eixo estratégico corresponde à sustentabilidade económica e financeira, essencial para o sucesso de um crescimento positivo, nomeadamente através do reforço da autonomia das estruturas intermédias, no desenvolvimento dos centros de responsabilidade integrada, e na promoção da eficiência e da produtividade.


   Fonte: Midlandcom
29-10-2018
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Pela Conclusão da IC3/A13
Tiago Carrão
Posição do CDS sobre os documentos previsionais do Municipio de Alcobaça para 2019
Carlos Bonifácio
A vacinação reduz o número de casos e de mortes por pneumonia
Dr. Vasco Barreto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o