Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda com a proposta do PS de quotas para negros e ciganos nas universidades?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 219 Director: Mário Lopes Sábado, 2 de Fevereiro de 2019
Conclusão do IC3 é a principal exigência
PSD Distrital de Santarém contesta Programa Nacional de Investimentos 2030
  
               Manuel Castro Almeida
Tendo sido tornado público o Programa Nacional de Investimentos até 2030, o PSD Distrital de Santarém considera inaceitável a não inclusão do IC3/A13 no documento enviado pelo Governo para a Assembleia da República, e informa que tudo fará para que esta obra fundamental para o distrito venha a ser concretizada. A Comissão Política Distrital do PSD de Santarém emitiu um comunicado sobre o assunto, na sequência da sessão de debate no dia 31 de janeiro, sobre o Plano Nacional de Investimentos até 2030 com o vice-presidente da CPN do PSD, Manuel Castro Almeida.

   Para o PSD, esta obra é absolutamente urgente por diversas razões para as quais já fomos alertando nos últimos meses mas que não deixaremos de salientar:

• Não é admissível o não cumprimento de uma promessa feita aquando da instalação do EcoParque do Relvão;

• O setor dos resíduos ali instalado é ele próprio estratégico para o país e precisa de outros canais de acessibilidade;

• Não é aceitável que as populações de Almeirim, Alpiarça, Chamusca e todas as povoações ao longo da Nacional 118 tenham que suportar o tráfego de centenas de pesados com resíduos de todo o tipo e com todos os riscos associados;

• É evidente a incapacidade da atual ponte da Chamusca em satisfazer as necessidades de tráfego a que está sujeita, com constrangimentos significativos para todos os seus
utilizadores;

• Este foi um investimento já sujeito a todos estudos preparatórios, declaração de impacte ambiental e zona condicionante de proteção ao traçado, e que foi inscrito no Plano Rodoviário Nacional 2000;

   O PSD Distrital de Santarém afirma não compreender esta opção do Governo de não priorizar a conclusão do IC3/A13 e garante que não abdicará de pugnar pela inclusão desta obra, que considera fundamental para a promoção da competitividade económica e melhoria da qualidade de vida. E não abdica também porque o sentido estratégico desta via estende-se à própria coesão e identidade regional. O traçado, tal como está definido, permitirá uma aproximação decisiva entre o Norte e o Sul do distrito e também entre as duas margens do Tejo e questiona “É disto que terão receio?”

   Mas há no documento agora apresentado outras questões que gostaria de ver também
esclarecidas e que são fundamentais para o distrito. É definida a necessidade de ligação da A23 a Ponte de Sôr, que inclui uma nova ponte sobre o Tejo com localização indefinida entre Abrantes e Constância e que o PSD Distrital de Santarém considera não poder responder aos graves problemas de acessibilidades ao Eco Parque do Relvão.

   O Programa Nacional de Investimentos até 2030 assinala o nó da A1 com o IC9, em Fátima, mas não se conhece a opção de localização para a sua concretização.

   Por outro lado, o PSD Distrital de Santarém defende obras de beneficiação do IC2, que considera vitais, dado ser uma das rodovias com mais trânsito de pesados do país e, no setor entre Asseiceira e o Alto da Serra, no concelho de Rio Maior, dado que a degradação acentuada do pavimento em betão tem aumentado exponencialmente as taxas de sinistralidade.

   Há uma referência, ao nível da ferrovia, para a construção de uma variante Vale de Santarém – Entroncamento sem outros elementos para que possa ser confirmado se responde aos interesses da região. O PSD Distrital de Santarém estranha ainda a não referência explícita à tão desejada, e tantas vezes prometida, requalificação da estação do Entroncamento, nomeadamente ao nível da segurança e acessibilidades, através de passagens desniveladas, que poderá ter sido, mais uma vez, esquecida.

   Para o PSD Distrital de Santarém, “o que impressiona, analisado o documento, é o pouco detalhe utilizado para apresentar mais um grande conjunto de investimentos que, tememos, possa, em grande parte não ser concretizado, como tem sido prática nos últimos três anos de governação. Não há orçamento detalhado, apenas valores globais e um horizonte temporal suficientemente amplo, para anúncio fácil em ano de eleições legislativas.”
02-02-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Quebrar a confiança
Luís Guerra Rosa
Morte de peixes no Rio Alcoa e encerramento de balcão bancário em São Martinho do Porto
Carlos Bonifácio
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o