Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O peso excessivo das mochilas escolares é um problema grave para as crianças?
Sim
Não sei / talvez
Não
Edição Nº 197 Director: Mário Lopes Sábado, 11 de Março de 2017
Vila Velha de Ródão
CCDR do Centro encerra empresa Centroliva por excesso de emissão de poluentes gasosos
   A Centroliva-Indústria de Energia S.A possui, em Vila Velha de Ródão, um estabelecimento dedicado à produção de energia elétrica a partir da combustão de biomassa (bagaço de azeitona, estilha e resíduos florestais) em duas caldeiras que, segundo o Decreto-lei 78/2004 de 3 de abril, estão sujeitas ao autocontrolo das emissões gasosas.

   Atendendo às sistemáticas e reiteradas faltas de apresentação de relatórios de autocontrolo das fontes fixas por parte da Centroliva e às inconformidades identificadas, e não sanadas, em vários relatórios apresentados, a CCDR do Centro concluiu que a Centroliva não cumpriu nos anos 2008, 2009, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016 o dever de monitorização das emissões definido no n.º 1 do art.º 19º do Decreto-lei 78/2004, de 3 de abril.

   A Centroliva não fez os investimentos com que se tinha comprometido há mais de um ano com o Governo, a Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e outras entidades públicas, e que visam instalar sistemas de tratamento de efluentes gasosos, obrigatórios por lei.

   Numa ação de fiscalização realizada pela CCDRC a 7 de março do corrente foram efetuadas medições dos efluentes gasosos das duas fontes de emissão (caldeiras), tendo-se verificado o incumprimento dos valores limite de emissão aplicáveis aos poluentes partículas, monóxido de carbono e compostos orgânicos. A título de exemplo, constatou-se que a concentração de monóxido de carbono nas duas caldeiras é superior ao valor limite legal aplicável em 49 vezes numa caldeira e 34 vezes na outra caldeira.

   A exposição aos poluentes atmosféricos pode estar associada ao aumento de risco de contrair patologia diversa de que são exemplos, entre outras, as doenças do foro respiratório e cardiovascular, sobretudo em populações mais vulneráveis como crianças, grávidas e doentes crónicos.

   Como a emissão registada em 7 de março último representa risco para o ambiente, para a qualidade do ar e para a saúde pública, a CCDRC aplicou, no dia 10 de Março, a medida cautelar de encerramento da instalação, prevista no n.º 1 do artigo 39º do Decreto-lei 78/2004 de 3 de abril, que determina que sejam desligadas as caldeiras da unidade.

   A cessação da medida cautelar só poderá ocorrer após verificação pela CCDRC de que a situação de perigo grave para o ambiente e qualidade deixou de existir.
11-03-2017
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Imagine a sua vida sem Google
Marta Jacinto
Mais “Europa"
Gonçalo Silva
Dia Mundial da Saúde reforça importância de prevenir a depressão
Dr. Joaquim Cerejeira
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o