Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Os suspeitos de violência doméstica devem aguardar julgamento em prisão preventiva?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 220 Director: Mário Lopes Terça, 12 de Março de 2019
Diretora Ana Pagará acusada de estar de costas voltadas para a comunidade
Comissão Política do PS contesta a gestão
do Mosteiro de Alcobaça
    
PS acusa Ana Pagará (ao centro)
         de gestão autoritária
A Comissão Política do Partido Socialista manifesta preocupações quanto à prática gestionária no Mosteiro de Alcobaça, acusando a sua diretor, Ana Pagará, de desenvolver “uma prática gestionária do Mosteiro de Alcobaça inconforme aos normativos nacionais e internacionais que apelam, explicitamente, para a relação profícua com a comunidade local. Pelo contrário, a sua ação pauta-se pela falta de capacidade de diálogo, bem como pela inaptidão para o estabelecimento de consensos no terreno”, concluindo que “o Mosteiro está de costas voltadas para a comunidade de proximidade.”

   Para a Concelhia do PS, “a alteração do circuito das entradas do Mosteiro, que, na verdade pode representar um aumento de receitas para o Estado, tem de ser feita sem se proceder ao encerramento da porta da Igreja. A mesma deverá manter a porta principal aberta, sendo acessível a qualquer pessoa ou grupo de pessoas que a queiram visitar por motivos religiosos ou culturais; trata-se igreja matriz da Paróquia de Alcobaça.”

    Também a programação cultural e pedagógica promovida pelo Mosteiro de Alcobaça merece reservas uma vez que “não apresenta um carácter transversal, intergeracional, inclusivo, integrador e continuado, que possa contribuir fortemente para a coesão social e territorial e, bem assim, para o desenvolvimento sustentável e integrado do território; e por consequência para o aumento da qualidade de vida da comunidade.”

    Na verdade, a programação promovida pelo Mosteiro de Alcobaça resume-se, quase exclusivamente, a encontros de carácter científico para público especialista, que, como é natural, granjeiam pouca assistência; normalmente, e a maioria das vezes, estão presentes 4 a 10 pessoas.

   Segundo a Concelhia, “não existe preocupação com a Educação Patrimonial. A comunidade alargada só é chamada a participar em atividades desta natureza nos dias comemorativos, como por exemplo: Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, Dia Internacional dos Museus e Noite Europeia dos Museus e ainda Jornadas europeias do Património. No entender da Comissão Política do Partido Socialista isto, é de facto, extremamente restritivo.”

   Por outro lado, “o Mosteiro de Alcobaça não apresenta um projeto integrador e continuado no que respeita à sua Missão Educadora; nem sequer apresenta um projeto educativo. Limita-se a desenvolver ações pontuais, sem existir uma linha de continuidade com objetivos claramente definidos.”

    Para a Concelhia do PS de Alcobaça, “também não é benéfico, nem ao Mosteiro de Alcobaça nem à comunidade, a existência do conflito institucional entre a Igreja e o Estado no seio do Monumento. O mesmo resulta da falta de capacidade de diálogo por parte da directora do Mosteiro de Alcobaça, que, na maioria das vezes, não responde às solicitações do Pároco.”

   Assim, “a falta de diálogo e de cooperação institucional conduz, naturalmente, a que sejam realizadas atividades em sobreposição com a Igreja. Como consequência, já ocorreram cerimónias religiosas perturbadas pelo ruído musical advindo de concertos promovidos nos espaços regulares do monumento. Ora, esta má relação institucional não é favorável nem ao monumento nem à cidade”, conclui.

    Para a Concelhia do PS de Alcobaça, “a falta de diálogo e o facto de a senhora directora não responder aos emails do Pároco resulta num grave conflito institucional com a Igreja. Como exemplo cita “a questão da colocação da porta de vidro na Capela do Santíssimo Sacramento do Mosteiro de Alcobaça, sendo que a existência da mesma favorecia claramente a vertente cultural e turística, e, por conseguinte, os interesses da DGPC/Mosteiro de Alcobaça.”

   Também o Partido Socialista de Alcobaça já fez várias tentativas de marcação de reunião com a diretora do Mosteiro, não havendo lugar a qualquer resposta. “Parece-nos não ser de todo uma atitude correta, porquanto todos os contactos merecem, pelo menos, uma resposta”, lamenta o órgão local do PS.
12-03-2019
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Parque de auto caravanismo e passadiços de S. Martinho do Porto
Carlos Bonifácio
A importância do Exame Médico Desportivo
Dr. Manuel Portela
Liberdade para manifestar opinião
César Santos
Festivais de Verão 2019 – Centro e Sul de Portugal
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o