Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda com a exploração de lítio em Portugal?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 105 Director: Mário Lopes Domingo, 5 de Julho de 2009
Opinião
“Pelo interesse público” – balanço do meu mandato
   


António Salvador

Vou separar este Mandato em duas fases. A primeira fase está marcada pela novidade do contacto com os assuntos e com as práticas de gestão pública preexistentes no Município e pela tensão política que se gerou no executivo, com a nova presença de dois vereadores independentes eleitos num grupo de cidadãos. A segunda fase fica marcada pela mudança e pela estabilidade que se gerou a partir de uma nova solução para o governo do Município.

   No entanto, antes de mais, creio que é importante lembrar a todos o contexto e a sequência de factos que estão na origem da actual situação.

   Antes das autárquicas de 2005, como normais militantes, o Sr. Mário Sousinha e eu próprio éramos, respectivamente, o presidente e o vice-presidente da Mesa do PSD da Nazaré. Um belo dia, como aconteceu várias vezes no passado, foi feito um autêntico assalto à Secção do partido para que o senhor de sempre (Reinaldo Silva) viesse a garantir a sua presença na lista à Câmara Municipal. Essa situação revoltou-nos e levou a que, mais tarde, nos tivéssemos unido a outros cidadãos (grupo de independentes), concorrendo às últimas eleições autárquicas, eu como 2.º da lista à Câmara (secundando o Sr. Trindade) e o Sr. Mário Sousinha como 1.º da lista à Assembleia, e concorrendo a todos os órgãos.

   O resultado foi bom. Fomos a 2.ª força política do Concelho, com 2 vereadores e 5 deputados municipais. Mas, para nós, foi sobretudo importante permitir aos militantes, simpatizantes e demais pessoas que preferem e votam no PSD (descontentes com o partido local), dar uma alternativa para se sentirem representados. E muitos votaram na lista de Independentes, por este e por outros motivos, congregando um amplo leque de pessoas e de sensibilidades.

   Com o tempo, claro que há quem queira esquecer que os resultados eleitorais dos Independentes resultam da presença de muitas sensibilidades políticas e pessoas (incluindo a nossa). Houve muitas pessoas que, sabendo desse assalto ao PSD/ Nazaré, não votaram no partido e isso viu-se na descida eleitoral do PSD, a par da forte descida do PS, a favor dos Independentes (onde até votaram militantes do PSD). É um facto que não deve ser esquecido. Não podemos só olhar para a conveniência de cada um…

   No inicio do Mandato, desde muito cedo que achei que as pessoas eram muito diferentes, mas que não podiam estar em desacordo nos objectivos e que, por isso, apesar da enorme crispação e do evidente conflito pessoal, acabaríamos por nos entender e por colocar a defesa do interesse da população acima de tudo. Mas enganei-me.

   Afinal, à medida que o tempo foi passando, tornou-se muito evidente o interesse pessoal em estar no poder, o conflito, as acusações pessoais… o estar contra tudo… Um cenário que me entristeceu. Não defendia isso. Comecei a tentar moderar algumas posições e atitudes. Sem sucesso. Alguns estavam muito motivados nessa oposição e contradição permanente. Viviam-se dias difíceis no executivo. 

   A meio do mandato, quando o presidente Jorge Barroso retirou os cargos a Reinaldo Silva, este mudou de cadeira, de posição e de “amigos” e adversários, mas não de atitude (passa a elogiar quem antes acusava e vice-versa). Perante tanto conflito, acabei por me sentir enganado nas posições que já vinham “concertadas de casa” por alguns vereadores da “oposição” (já na ausência de João Benavente e com autonomia de Vítor Esgaio), incluindo o Sr. Trindade, tendo eu sido excluído desde logo, provavelmente por saberem que não concordo com certas situações). Acabei por me sentir traído e suspender o mandato, para respirar um pouco e me afastar de tais comportamentos. Nessa altura, chegou a ser feito o desafio de fazer cair a Câmara, mas quem o queria não teve coragem de o assumir.

   Depois de reflectir durante um mês, decidi voltar ao executivo porque não estou habituado a virar as costas às pessoas e porque “dei a cara” e quis cumprir a responsabilidade que assumi perante a população. E tentei criar condições para que o mandato assumido fosse até ao fim, defendendo o que tinha que defender, com base nos meus princípios e no interesse para a população, não pactuando com os jogos políticos de alguns que dizem publicamente que farão tudo para estar no poder (mas tudo mesmo!?). Até assusta…

   Foi então que me concentrei em defender o essencial: concretizar e executar os “grandes projectos” que a população do Concelho da Nazaré deseja há muito tempo e que estavam no Programa Político que defendi (e que, como devem calcular, é muito parecido, nos objectivos, com o de outras forças políticas, especialmente o do PSD).

   Esse facto acabou por levar o presidente da Câmara a convidar-me para ajudar a concretizar os “grandes projectos” e levou a que se tenha criado um “espírito de equipa” entre o presidente Jorge Barroso, a vereadora Mafalda Tavares, o vereador Pires e o vereador António Salvador, pois estamos unidos em torno de objectivos públicos comuns, e isso está a ser muito importante para garantir o desenvolvimento e concretização desses projectos e obras, incluindo na imagem de credibilidade que temos dado aos investidores privados e que é precisa para investir no nosso Concelho.

   Por isso, há pouco mais de 1 ano, assumi o pelouro do Ordenamento do Território e Urbanismo para coordenar e criar condições para se poderem concretizar estes investimentos e obras tão importantes para a população do Concelho e que irão criar muitas empresas locais relacionadas com estes sectores de actividade e muitos postos de trabalho.

   Apesar das dificuldades e da crise, o interesse comum tem permitido que avancem os “grandes projectos” (uns mais antigos, como a Área Empresarial do Valado dos Frades, a Marina da Nazaré e o Resort do Golfe, a que se veio juntar o Teleférico, e outros mais recentes na sua forma e conteúdo, como a requalificação da Marginal ou a regeneração do Centro Urbano da Nazaré, incluindo o novo Mercado Municipal, os novos Paços de Concelho, um edifício de comércio e serviços/ hotelaria, a par da reabilitação da área urbana envolvente ao centro).

   Entretanto, pelo nosso empenho e para felicidade nossa (e de toda a população!), aos projectos já referidos, no último ano, e apesar da crise, veio juntar-se o grande projecto do Hospital privado israelita, investimento que irá permitir reforçar a estratégia de desenvolvimento que estamos a seguir com muita coragem e determinação.

   Lamento que muitos vão dizendo durante muitos anos que estão interessados em desenvolver alguns destes projectos, mas que, na hora da verdade, e de assumir essa vontade nas votações, acabam por votar em abstenção ou a favor com os motivos mais incríveis que possamos imaginar, tudo porque os interesses pessoais e partidários se sobrepõem (!?).

   A estabilidade que se criou neste último ano e meio de mandato, na Câmara com a minha presença e do Sr. Pires, e na Assembleia Municipal com o Sr. Mário Sousinha, tem sido fundamental para poder concretizar estes projectos que eu acredito serem muito importantes para a nossa população e para o nosso concelho.

   Estamos muito empenhados em defender os interesses da população e em fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para ter sucesso, cativando investimentos para criar postos de trabalho e fazendo grandes obras que vão permitir melhorar a economia e as condições de vida da população. Nada mais é importante. Nada mais me interessa.

   A Câmara da Nazaré tem em curso, além da reabilitação de várias ruas e vias públicas, da nova Biblioteca Municipal, e de outros processos mais discretos:
- Centro de Alto Rendimento do Surf para a Praia do Norte (obra adjudicada);
- 3 Centros Escolares: Nazaré, Valado dos Frades e Famalicão (muitos milhões em obras de educação);
- Casa Mortuária da Pederneira (obra em curso) e Recifes Artificiais (espera pela candidatura);
- Área Empresarial/ Industrial do Valado dos Frades (inclui a zona desportiva/ campo de futebol);
- Centro Urbano (novos Paços de Concelho e Mercado Municipal, áreas comerciais, Tribunal, parques de estacionamento e reabilitação urbana e comercial e (concurso a lançar);
- Requalificação da Marginal com parque de estacionamento e plano de praia (em preparação);
- Nazaré XXI – Complexo Turístico da Marina e do Golfe (concurso efectuado);
- Teleférico Nazaré/ Pederneira (adjudicado e obra para muito breve);
- Hospital privado israelita (com 250 camas e 500 postos de trabalho).

   São factos. Como nazareno, sinto-me bem em fazer deste processo de desenvolvimento, fruto do trabalho colectivo e participado por várias pessoas, de várias sensibilidades, unidas em torno de objectivos públicos maiores.

   Os valores ideológicos e os interesses corporativos podem ser importantes (para alguns) mas as pessoas são muito mais importantes do que os partidos!

   Defendo a união e a conjugação de esforços de quem queira trabalhar, com dedicação, para fazer estas e outras obras para as pessoas da nossa terra. É por isso que quero combater!

   É por isso que, apesar de ter apenas 1 ano e meio até final do mandato, entendo que tomei uma boa decisão ao abraçar a causa pública e o interesse de toda a população e por colocar estes projectos e obras no terreno, sendo coerente com o Programa que defendi nas eleições.

   A estratégia e o caminho estão traçados. As obras estão em marcha e falarão por si.

   António Salvador
Vereador da Câmara da Nazaré
05-07-2009
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Sócrates e Obama: descubra as diferenças
Mário Lopes
OPINIÃO
Novas Regras nos Contratos de Crédito ao Consumo
Marta Costa Almeida
Baralhar e Dar de Novo, Não!
Fábio Salgado
“Pelo interesse público” – balanço do meu mandato
António Salvador
Balanço do meu mandato 2005/2009
António Trindade
Esquizofrenia ou Embuste?
Nuno Miguel Cruz
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o