Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O peso excessivo das mochilas escolares é um problema grave para as crianças?
Sim
Não sei / talvez
Não
Edição Nº 196 Director: Mário Lopes Segunda, 13 de Fevereiro de 2017
Junto do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural
Pedrógão Grande reafirma-se contra extermínio do achigã e carpa em águas portuguesas
  
                                      Valdemar Alves
O presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, voltou a manifestar a sua preocupação perante a revisão do Decreto-Lei 565/99 de 21 de dezembro, agora reforçando-a face ao secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, transmitindo-lhe a posição do município, que vai no sentido de que sejam retiradas da lista de espécies exóticas e invasoras o achigã e a carpa previstas na alteração ao referido Decreto-Lei.

   De recordar que este Decreto-Lei poderá prever o extermínio em Portugal de espécies como o achigã, peixe bastante comum nas águas das albufeiras do Concelho de Pedrógão Grande, introduzido em 1898 em Portugal e parte integrante da sua matriz cultural. Atualmente, esta é uma espécie que podemos considerar como naturalizada, ou seja, inserida no contexto natural português sem ter infligido danos no ecossistema.

   Após ter anteriormente alertado o ministro da Cultura para as consequências socioeconómicas e culturais que tal alteração poderá acarretar, o Autarca Pedroguense reforçou a posição do Município, desta feita em ofício, reafirmando que não conhece qualquer estudo científico que corrobore a necessidade de extermínio destas duas espécies.

   Nesta missiva, o presidente Valdemar Alves afirma que Pedrógão Grande, enquanto parte interessada, “nunca foi escutado, contatado, conhecida a sua percepção, perspetiva ou sequer tida em consideração a realidade socioeconómica direta e indiretamente ligada ao achigã e carpa e as consequências perniciosas do seu extermínio”. Para Valdemar Alves, exterminar o achigã e a carpa poderá “retirar a Pedrógão Grande e a outros municípios um considerável número de visitantes, estimulantes diretos à dinâmica turística, ao comércio local e à cultura e identidade da malha dos povos”.

   Em jeito de conclusão, Valdemar Alves propõe ao membro do Governo que tutela esta área que “sejam escutadas todas as partes interessadas e que deverão ser intervenientes em todo este processo. Sem este sustentáculo cai por terra qualquer intento democraticamente condigno de alteração a um Decreto-Lei”, e reafirma a posição de Pedrógão Grande de “retirar da lista de espécies exóticas e invasoras o achigã e a carpa”.

   Fonte: CMC|CMPG
13-02-2017
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
Obama,the troubleshouter. Trump, the troublemaker
Mário Lopes
OPINIÃO
Alzheimer e outras demências: como lidar com as alterações cognitivas e comportamentais
Drª Margarida Rebolo
"Um Oeste para Jovens?"
Gonçalo Silva
As pedras não nos traem
Jorge Mangorrinha
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o