Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem é responsável pelo conflito entre os motoristas e as empresas transportadoras?
Os motoristas
As empresas
O Governo
Outros
Não sei
Edição Nº 84 Director: Mário Lopes Sexta, 26 de Outubro de 2007
Santarém
António Vasconcelos Nogueira vence Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno

   


Apresentação do Prémio Nacional de Teatro
Bernardo Santareno

António Fernando de Vasconcelos Nogueira, de 46 anos, foi o grande vencedor da 1ª edição do ”Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno”, com a peça original. "As Lamentações de G. von H. ou Auto Dos Bem Amados". O autor é professor convidado da Universidade de Aveiro e já tinha sido distinguido com a atribuição ex-aequo do Prémio Literário "José Régio" Teatro 2001 pelo seu primeiro escrito literário presente a concurso: a peça “O Mestre de K”. O prémio, no valor de 15 mil euros, será entregue ao vencedor na II Gala Bernardo Santareno, marcada para o dia 19 de Novembro, na sala de espectáculos do Teatro Sá da Bandeira.

     O anúncio foi feito dia 23 de Outubro, em conferência de imprensa, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Santarém, pelo escritor e presidente da Associação Portuguesa de Escritores (APE), José Manuel Mendes e júri do prémio. Para além de José Manuel Mendes estiveram também presentes Vicente Batalha, presidente do Instituto Bernardo Santareno e Abel Neves, escritor e dramaturgo, representante da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA). A actriz e encenadora Fernanda Lapa, também membro do júri, não pôde estar presente nesta conferência.

   


José Manuel Mendes

A decisão da peça vencedora foi tomada no passado dia 15 de Outubro, após uma exaustiva selecção e análise dos 133 textos concorrentes à 1ª edição do "Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno". O júri do concurso relevou a “qualidade formal e os resultados conseguidos no domínio dos recursos cénicos numa peça que, por entre referentes múltiplos do universo cultural e elementos de índole filosófico-poética, confronta o homem com os seus limites e as suas interrogações fundamentais”.

     José Manuel Mendes considera que este prémio é um “tributo à programação dramaturga portuguesa” e “honra Bernardo Santareno, que importa revisitar no teatro, na ficção e cujo mérito não deve passar à margem das nossas preocupações”. Para o presidente da APE, a obra vencedora é “uma obra com clara vocação para o palco”.

   


Abel Neves

José Manuel Mendes referiu ainda que a peça “coloca situações que confrontam o homem e fá-lo com uma escrita com intensidade”, mas furta-se a contar a história porque “uma peça de teatro é muito mais do que a sua história”. O presidente da APE limita-se apenas a dizer que “a história é muito a intencionalidade de questionar o homem e os seus destinos”.

     Por sua vez, Abel Neves referiu que a peça se “centra na vida de uma mulher judia na Holanda há cerca de três séculos” e que “trata questões íntimas do judaísmo”. O escritor e dramaturgo salientou que a peça é “totalmente original”, sendo “um bom texto, muito bem escrito, que não corre o risco de ser muito literário” e “pode muito bem entrar num bom patamar da nossa dramaturgia”, 

    


Vicente Batalha

Por fim, Vicente Batalha considerou o concurso um êxito, pelo elevado número de trabalhos recebidos, garantindo que o 2º“Prémio Nacional de Teatro Bernardo Santareno vai regressar em 2009. O presidente do Instituto Bernardo Santareno (IBS), garantiu ainda que a peça vencedora “As Lamentações de G. von H. ou Auto Dos Bem Amados" será publicada já no próximo ano (2008) pela Câmara de Santarém e pelo Instituto Bernardo Santareno.

     Vicente Batalha adiantou também que o Instituto se vai comprometer a fazer divulgação da peça junto de grupos de teatro no sentido de a fazer passar à cena, porque “o teatro só é conhecido quando passa para os palcos.” O presidente do IBS acrescentou que o “papel do Instituto é divulgar, estudar, dar a conhecer e criar condições para que a obra seja levada a palco..

    Refira-se que António Fernando de Vasconcelos Nogueira, professor convidado da Universidade de Aveiro actualmente a fazer um estudo sobre a emigração portuguesa no Luxemburgo, já tinha sido distinguido com a atribuição ex-aequo do Prémio Literário "José Régio" Teatro 2001 pelo seu primeiro escrito literário presente a concurso: a peça “O Mestre de K”.

                                O Autor e a Obra
 
       António de Vasconcelos Nogueira nasceu em Águeda, em 1961. Fez a licenciatura, o mestrado e o doutoramento em Filosofia; pós-doutoramento em História Económica. Viveu e estudou durante uma década no Báltico, em países onde se demorou, como a Alemanha, Polónia, as repúblicas do Báltico (Estónia, Letónia e Lituânia) e a Rússia. Reside, ao presente, no Grão-Ducado do Luxemburgo.

    Realizou pesquisa académica no Funchal, Amsterdão, Madrid, Londres e Cambridge, Montreal (Québéc, Canadá) e Providence (RI, EUA). Foi Professor Convidado da Universidade de Aveiro, Departamento de Economia, onde desenvolve actualmente o seu projecto de pós-doutoramento em História Económica e Cultura (migração portuguesa no Luxemburgo).

    É autor de escritos académicos publicados, como Judaísmo e Capitalismo, Contribuição dos judeus portugueses para a ética capitalista (2004); De Re Kantiana (1997) e Portugal e o Báltico (1995). A peça O Mestre de K. foi o seu primeiro escrito literário presente a concurso, que mereceu a atribuição ex-aequo do Prémio Literário "José Régio" Teatro 2001. O presente escrito - "As lamentações de G. von H. ou Auto dos Bem-Amados” - é inteiramente original.

26-10-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Comentário de marta
16-06-2015 às 16:39
What a great person. As his daughter Id like to meet him after he left me years ago.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A escola da Calçada de Carriche
Mário Lopes
OPINIÃO
Portugal e as Migrações: “Novos e Velhos Desafios”
Henrique Tigo
O Arquitecto Eugénio dos Santos
Luís Rosa
A nova cruz alta de Fátima
D. Serafim Ferreira e Silva
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o