Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Concorda com a legalização da eutanásia?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 228 Director: Mário Lopes Quarta, 22 de Janeiro de 2020
Mestres foram convidados a participar nos cruzeiros científicos
Nazaré defende quotas de pesca com equilíbrio entre conhecimento científico e necessidades
  
                   Concentração de pescadores no IPMA
O presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro, apelou a que não só se olhe apenas para o lado científico na definição de quotas pesqueiras e TAC.

   “Também tem de se olhar para o lado social”, disse o autarca relativamente à posição do Ministério do Mar, que recebeu, na passada semana, dezenas de pescadores de todo o país, que se deslocaram a Lisboa por causa dos novos limites de pesca e a falta de apoios.

   O autarca defende que “é necessário olhar para os cruzeiros científicos, que apontam para o crescimento de 900% dos valores da sardinha (2018-2019) e perceber que não é razoável propor a redução ainda maior da quota da sardinha”, o que levanta preocupações “colocará o setor na possível miséria”.
 
   Walter Chicharro reforçou a preocupação da Autarquia sobre o período de defeso da sardinha, que afeta os pescadores do cerco da Nazaré.

“  Não podemos ter uma empresa parada entre 6 a 7 meses ao ano. Não há nenhuma que seja viável assim”.

   Walter Chicharro fala em necessidade “equilíbrio” entre o lado científico e as empresas do setor, defendendo que “a sustentabilidade a pesca e dos recursos é fundamental”, tal como “uma resposta integrada a todos os níveis”.

   Os pescadores contestam as quotas de pesca de biqueirão e sardinha, que classificam de insuficientes, e contestam os dados da Comunidade Científica, acerca do stock de biqueirão, que voltam a estar na origem da limitação dos totais admissíveis de captura (TAC).

   Joaquim Zarro, responsável pela Associação de Armadores de Pesca da Nazaré, ficou “contente” com o encontro mantido com a tutela “por terem ouvido as nossas preocupações”, aguardando, agora, desenvolvimentos: “agora vamos ver, daqui para a frente, se vamos no bom caminho".

“Aquilo que nós queremos é trabalhar mais. Nós não queremos subsídios”, disse.

   O ministro, que recebeu vários mestres de embarcações e pescadores de todo o país, explicou que “há protocolos científicos para avaliar isso e eles (os mestres) são convidados a participarem nos cruzeiros científicos e observações e discutirem os dados connosco. Há aqui diferenças de opinião, mas continuamos a ter de basear as nossas decisões no melhor conhecimento científico".

   No final, o ministro falou em "manifestação e diálogo espontâneo" e explicou que a criação de "novas oportunidades de pesca” não pode colocar em causa a sustentabilidade dos recursos piscícolas.
 
   Fonte: SML|GC|CMN
22-01-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Casino Online continua a evoluir com a chegada de um novo operador a Portugal
Miguel Paulo: “É preciso voltar a página no PS em Rio Maior"
Miguel Paulo
Mulheres portuguesas, por quem os sinos dobram
Joaquim Vitorino
Centro de Negócios de Alcobaça, Feira de São Bernardo e delimitação das novas ARU
Carlos Bonifácio
Só a CDU votou contra os Orçamentos 2020 da Câmara e dos Serviços Municipalizados de Alcobaça
Por Luís Crisóstomo e Clementina Henriques
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o