Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Como classifica o nível da pandemia em Portugal?
Normal que haja surtos pontuais
Anormal e a culpa é do Governo
Anormal e a culpa é do comportamento das pessoas
Não sei
Edição Nº 233 Director: Mário Lopes Sábado, 13 de Junho de 2020
CTT garantem que todas as lojas estiveram abertas
BE apoia trabalhadores dos CTT em greve. Admistração garante adesão de apenas 18,4%
   O Bloco de Esquerda considera “desastrosa” a privatização dos CTT feita pelo XIX Governo, de Passos Coelho/Troika, uma vez que se “encerraram Postos de Correios, venderam-se imóveis e adquiriram-se empresas consideradas de risco, despediram-se trabalhadores, retiraram-se benefícios e impuseram-se condições de trabalho desumanas.” Os CTT da gestão privada que distribuem dividendos pelos accionistas na ordem dos 345 milhões de euros/ano, penalizam os trabalhadores e a população, a quem é prestado um serviço postal deficiente.

  Em tempo de pandemia o trabalho dos Correios duplicou sendo esse aumento em alguns Postos de 150% com o aumento das compras online, distribuição de correspondência institucional, máscaras, etc..

  Para além desse acréscimo de trabalho e da empresa não pagar horas extraordinárias, há carteiros a fazer três ou quatro giros por dia não conseguindo mesmo assim dar conta do trabalho, amontoando-lhe também as tarefas que precisam fazer nas Estações. Lembra-se também que os carteiros estão entre os trabalhadores de alto risco de contágio, não sendo possível reduzir o trabalho presencial também lhes foi dado equipamento adequado. A situação levou ao agravamento das situações de stress profissional e consequente diminuição de trabalhadores no ativo.

  Recentemente os trabalhadores foram confrontados com o corte nos seus rendimentos mensais, com o corte do subsídio de alimentação, que foram substituídos por cartões de refeição, de evidentes benefícios financeiros para a empresa e também para Hipermercados e Banco envolvidos a quem alguns acionistas estão ligados.

  Já este ano, o Governo iniciou (re)negociações da concessão e do caderno de encargos à empresa CTT. Sendo evidente que não há condições para a renovação da concessão, a oportunidade deve ser aproveitada para trazer de novo os CTT para alçada pública.
A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Santarém manifesta publicamente a sua solidariedade para com os trabalhadores dos CTT do distrito de Santarém e a nível nacional, considerando que só com os CTT nacionalizados e sob a gestão pública teremos um serviço de qualidade às populações.

   Todas as Lojas CTT abertas: greve geral nos CTT com adesão 18,4% sem impacto no normal e regular funcionamento da empresa e nos clientes

  Os CTT informam que, tendo procedido ao registo no sistema de processamento de vencimentos dos trabalhadores aderentes à greve, apuraram uma taxa efetiva de adesão de apenas 18,4% até às 12h horas desta sexta-feira, abaixo da adesão registada na greve de 29 de maio, sem impacto expressivo na atividade da empresa e sem impacto nos clientes.

   A distribuição postal continua, portanto, a ser prestada durante o dia de sexta-feira, 12 de junho, não tendo esta paralisação tido impacto na atividade e operação, não se sentindo qualquer interrupção do serviço aos clientes. No respeitante às lojas CTT, a greve também não afetou o serviço, uma vez que 100% das lojas CTT, ou seja, as 544 lojas se encontram abertas.

   “Com esta baixa adesão, a maioria da população e dos nossos clientes particulares e empresariais não sentirão qualquer efeito da greve. Apesar disso, e conforme anteriormente divulgado, os CTT estão a fazer tudo para minimizar eventuais impactos por forma a manter a sua operação dentro da normalidade para poder satisfazer os seus clientes. Nesse sentido, nos locais onde eventualmente se puderem sentir eventuais constrangimentos, os CTT, caso seja necessário, procederão a uma distribuição extraordinária de correio nos próximos dias”, refere a Administração dos CTT.

   Os CTT, que sempre afirmaram não compreenderem as razões desta paralisação, “agradecem aos seus colaboradores o seu sentido de responsabilidade e a forma contundente como demonstraram entender o momento especial que a empresa atravessa e o esforço que está a ser feito no interesse de todos, apesar do oportunismo no dia escolhido para a realização desta greve, após dois feriados e antes do fim-de-semana.”

    Para a Administração dos CTT, “o fundamento para esta greve – a decisão de pagamento do subsídio de refeição através de cartão-refeição aos colaboradores que ainda não tinham optado por essa via –, não tem qualquer razão de ser e procura reagir à muito significativa quebra de proveitos decorrente do atual contexto que vivemos e defesa da sustentabilidade da empresa, sem nunca prejudicar os rendimentos dos seus colaboradores.”
 
   Fonte: CCDS|BE e GI|CTT
13-06-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Relatório de Gestão e Documentos de Prestação de Contas de Alcobaça
César Santos
A PPP Terra de Paixão
Eduardo Nogueira
Desafios dos Oceanos
Luís Guerra Rosa
Dever de informar
Carlos Bonifácio
Carta Aberta do presidente da Câmara Municipal da Azambuja
Luís de Sousa
Mensagem por ocasião da retoma das celebrações comunitárias da Santa Missa
Cardeal António Marto
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o