Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
O coronavírus COVID-19 vai tornar-se um problema grave em Portugal?
Sim
Não
Não sei/talvez
Edição Nº 230 Director: Mário Lopes Segunda, 16 de Março de 2020
CHL atualiza procedimentos adequados à fase de mitigação do novo Coronavírus (COVID-19)
Hospitalar de Santo André cria área distinta para suspeitos de infeção com o COVID-19
    
                     Urgência Geral do Hospital de Santo André
No sentido de dar resposta à avaliação e tratamento dos doentes COVID19, determinadas pelo despacho da ministra da Saúde, do dia 15 de março de 2020, e de acordo com a Norma 001/2020, emitida esta segunda-feira, dia 16 de março, pela Direção-Geral da Saúde, o Centro Hospitalar de Leiria (CHL), no âmbito da adequação de procedimentos à fase de mitigação do novo Coronavírus (COVID-19), comunica que a urgência geral do Hospital de Santo André (HSA) foi reestruturada de forma a criar duas áreas distintas: uma para o tratamento de utentes infetados pelo vírus COVID-19, ou com suspeita de infeção (“Área COVID-19”) e outra área para tratamento de doentes não infetados pelo vírus, que se desloquem ao hospital para tratamento de outras patologias (“Área não COVID-19”);

   Na “Área COVID-19” serão tratados os doentes que tenham queixas respiratórias e apresentem sintomas gripais como tosse, expectoração, falta de ar ou febre, e tenham vindo de áreas de transmissão comunitária nos últimos 14 dias: China, Coreia do Sul, Japão, Singapura, Irão, Itália, Suíça, Espanha (La Rioja; Madrid; Catalunha; País Basco), na Alemanha (North-Rhine-Westphalia; Baden-Wurttenberg; Baviera) ou França (Ilha de França; Grand Est) e/ou tenham estado em contacto com pessoas diagnosticadas com o novo Coronavírus;

   A pré-triagem de doentes com suspeita de estarem infetados pelo COVID-19 é feita por um enfermeiro devidamente protegido com equipamentos de proteção individual, na tenda de campanha vermelha, cedida pelos Bombeiros Voluntários de Leiria, que está montada junto às urgências. Através de um breve questionário, o enfermeiro define se o doente tem ou não critérios para ser considerado caso suspeito, para posterior validação;

   Os doentes que na pré-triagem reúnam critérios para serem considerados casos suspeitos são encaminhados para a “Área COVID-19” da urgência (antiga “área de verdes” da urgência geral), junto à qual se encontra a tenda de campanha vermelha, onde será feita a colheita para realização de testes de contágio por COVID-19, para posterior envio para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), para averiguação dos resultados (positivo/negativo);

   Até ao final da presente semana, além das colheitas junto dos doentes identificados como casos suspeitos validados, o CHL vai também passar a realizar testes no seu laboratório e assim obter os resultados de forma mais célere, num prazo entre cinco a seis horas;

   No momento da realização do teste, a DGS é informada de que o doente é um caso suspeito; o doente é enviado para casa e aguarda o resultado, sendo posteriormente contactado pela autoridade de saúde local;

  Aos doentes com resultado positivo, que não manifestem sintomas graves e tenham sido enviados para casa, e é-lhes entregue, no CHL, um folheto com a informação que deverão seguir; posteriormente serão novamente contactados no sentido de avaliar se há necessidade de voltarem ao hospital ou se poderão continuar em casa, sob vigilância;

  Os doentes que na triagem apresentem insuficiência respiratória não são enviados para casa, sendo colocados na “Área COVID-19”, onde deverão aguardar o resultado do teste; em caso de resultado positivo, o doente é encaminhado para a “Unidade de Internamento COVID-19” (antiga Unidade de Internamento de Cuidados Intermédios), que dispõe de 20 camas e 20 ventiladores para o tratamento destes doentes;

   A “Área COVID-19” e a “Unidade de Internamento COVID-19” contará com profissionais em exclusivo e os turnos de urgências na “Área COVID-19” serão de oito horas; estão definidos circuitos exclusivos para os doentes com COVID-19, uma máquina de TAC, e todo o tratamento a estes doentes é feito no piso 0 do HSA, para evitar o uso de elevadores; a unidade de cuidados intensivos conta ainda com dois quartos de pressão negativa equipados com ventiladores para serem usados em exclusivo para doentes COVID-19;

  As consultas no HSA passam agora a decorrer sem a presença do doente (SPD), via telefone, com exceção das consultas classificadas como “prioritárias” e “muito prioritárias”, com o objetivo de reduzir para cerca de um terço a afluência à Consulta Externa; os utentes já estão a ser informados por SMS da alteração da tipologia da sua consulta.

   O CHL está neste momento a preparar outras áreas do HSA para aumentar a zona de triagem e prestação de cuidados de saúde a doentes infetados pelo COVID-19; está já a ser feita a monitorização de temperatura a profissionais, utentes e acompanhantes, além da reorganização das zonas de espera, para evitar aglomerados de pessoas;

Até ao presente momento, o CHL não registou nenhum caso positivo do novo coronavírus entre os casos suspeitos tratados.

    O Centro Hospitalar de Leiria apela a todos os cidadãos que sigam escrupulosamente as recomendações das autoridades de saúde e dos especialistas e que fiquem em casa para não contribuírem para o agravamento da pandemia do coronavírus. E que só recorram ao hospital em caso de urgência MESMO URGENTE. Se tiverem sintomas compatíveis com a infeção por coronavírus liguem para a linha SNS 24, 808 24 24 24.

     Fonte: Midlandcom
16-03-2020
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
Aprender a viver com o coronavírus
Mário Lopes
As doenças raras em Portugal e o papel da Medicina Interna
Dr. Paulo Castro Chaves
Em Portugal, ser raro… não é raro
Dr. Joaquim Brites
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o