Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
A Linha do Oeste deve ser requalificada?
Até Caldas da Rainha
Até Leiria
Em toda a extensão
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 210 Director: Mário Lopes Domingo, 27 de Maio de 2018
Prémio de Melhor Museu do Ano atribuído ao Museu Metalúrgica Duarte Ferreira
Associação Portuguesa de Museologia premeia seis museus da Região Centro
  
Jorge Pereira de Sampaio com uma peça
     da coleção Luís Pereira de Sampaio
 
O Turismo Centro de Portugal congratula-se, no dia 26 de maio, com os seis prémios para os museus da região, atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia, incluindo o de Melhor Museu do Ano, para o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, no Tramagal, no concelho de Abrantes. Os outros museus distinguidos foram o Museu Damião de Góis e das Vítimas da Inquisição (Alenquer); Museu de Leiria, Museu Municipal de Ourém; Museu da Comunidade Concelhia da Batalha e o Museu da Faiança de Alcobaça Luís Pereira de Sampaio.

   A cerimónia de entrega de prémios da Associação Portuguesa de Museologia (APOM), decorreu no dia 25 de maio, no Museu Nacional dos Coches, em Lisboa. Das 25 categorias a concurso, o Centro de Portugal esteve particularmente em evidência, não só porque o prémio principal, de Melhor Museu do Ano, distinguiu o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, no Tramagal, localizado nesta região, mas também pela extensa lista de galardões entregues a outros espaços museológicos do Centro.

   “É com grande satisfação, mas sem surpresa, que saudamos os prémios atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia aos museus do Centro de Portugal. Desde logo, o prémio principal, que distingue um projeto muito recente, mas que já é merecedor de uma tão elevada distinção, com toda a justiça. Os meus parabéns à Câmara Municipal de Abrantes e à parceria que instalou o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, mas também a todos os outros museus da região que saíram premiados na cerimónia”, salientou Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

   “A diversidade dos museus que podem ser visitados no Centro de Portugal é um trunfo da região, do ponto de vista turístico. Uma região tão rica e com uma oferta tão alargada, que tem conseguido captar o interesse de cada vez mais visitantes, nacionais e internacionais, está felizmente representada nos seus espaços museológicos. Os turistas procuram, de forma crescente, produtos diferenciados e o património cultural e patrimonial é uma grande mais-valia”, acrescentou.

   Os prémios da Associação Portuguesa de Museologia distinguiram os seguintes museus do Centro de Portugal:

Melhor Museu do Ano: Museu Metalúrgica Duarte Ferreira (Tramagal);
Prémio Instituição: Câmara Municipal de Mação - Instituto Terra e Memória;
Prémio Aplicação de Gestão e Multimédia: Museu Marítimo de Ílhavo e PO.RO.S - Museu Portugal Romano em Sicó (Condeixa-a-Nova); Menção Honrosa nesta categoria para o Museu Damião de Góis e das Vítimas da Inquisição (Alenquer);
Prémio Filme de Divulgação: Centro de Interpretação da Batalha do Bussaco (Mortágua) e Casa da Memória Judaica da Raia Sabugalense (Sabugal);
Prémio Marketing Cultural: Museu de Leiria, com a exposição ReBelDes;
Prémio Inovação e Criatividade: Museu Municipal de Ourém;
Prémio Colecionador: Luís Pereira de Sampaio (Alcobaça); Menção Honrosa nesta categoria para Manuel Silva, pelo Museu da Rádio - Radiolândia (Oliveira do Bairro);
Prémio de trabalho de Museografia: Menção Honrosa nesta categoria para o Museu Judaico de Belmonte e para o Museu Damião de Góis e das Vítimas da Inquisição (Alenquer);
Prémio Investigação: Polo Museológico de Vilar Formoso, Fronteira da Paz - Memorial aos refugiados e ao Cônsul Aristides Sousa Mendes; Menção Honrosa nesta categoria para o Museu Metalúrgica Duarte Ferreira (Tramagal) e para o Museu da Comunidade Concelhia da Batalha.

   Museu de Leiria conquista Prémio de Marketing Cultural da Associação Portuguesa de Museologia

  
                                          Museu de Leiria
O Museu de Leiria conquistou esta sexta-feira o Prémio de Marketing Cultural, atribuído pela APOM - Associação Portuguesa de Museologia, com a exposição ReBelDes (Leiria).

   O prémio foi anunciado no Museu Nacional dos Coches, numa gala em que foram atribuídos prémios em 25 categorias, em áreas como a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, a melhor exposição, mecenato e projeto museográfico. Este ano a associação recebeu 253 candidaturas de instituições de Portugal continental e das Regiões Autónomas, bem como de projetos de expositivos portugueses no estrangeiro.

   A APOM, fundada em 1965 para incentivar o espírito de preservação e divulgação do património dos museus, atribui os prémios anualmente, desde 1997, a museus, projetos, profissionais e atividades desenvolvidas no setor.

   A exposição ReBelDes destaca a obra gráfica dos artistas leirienses Sérgio Luiz e Güy Manuel e ainda pode ser vista numa exposição que pode ser apreciada num roteiro que inclui diversas ruas da cidade, o Museu de Leiria e o Arquivo Distrital de Leiria.
Esta iniciativa presta homenagem aos ilustradores leirienses Sérgio Luiz (1921-1943) e Güy Manuel (1923-1943), dois irmãos e artistas leirienses, precocemente desaparecidos, cuja obra se tem mantido maioritariamente no resguardo dos arquivos e memórias familiares.

   A mostra é constituída por uma seleção dos seus trabalhos, alguns publicados em revistas juvenis de banda desenhada, mas muitos inéditos, é agora tornada visível, numa exposição que se distribui entre o Museu de Leiria e o Arquivo Distrital de Leiria. Nestes locais podemos conhecer os desenhos, escritos e objetos originais que constituem o legado dos irmãos Fernandes e que se encontram à guarda de cada uma destas instituições.

   Com esta exposição pretende-se também “inundar” de cor a cidade e as suas ruas e praças, preenchidas pela imaginação vibrante de Sérgio e pelo desenho apurado de Güy.
As aventuras de Sérgio e Güy chegam ao seu espaço natural – é a rebeldia da juventude que toma as ruas de Leiria.

   Um Museu amplamente premiado

      Ano após ano, a qualidade do Museu de Leiria tem sido reconhecida com sucessivos prémios, de que são exemplos a conquista do Prémio Siletto do Fórum Europeu dos Museus em 2017, o prémio de Melhor Trabalho sobre Museografia na cerimónia de atribuição dos Prémios Nacionais de Museologia 2016, uma menção honrosa no prémio de Melhor Museu e outra menção honrosa no domínio da Acessibilidade Física entregue pela associação Acesso Cultura.

Este espaço constitui uma autêntica janela aberta sobre a memória de um território longamente habitado que, à entrada do século XXI, se revela com um novo olhar sobre uma realidade complexa.

   O Museu de Leiria organiza-se em dois espaços expositivos. No primeiro apresenta-se uma exposição de longa duração que faz uma leitura geral da história do território, propondo um caminho, necessariamente sumário, por entre a rica e densa floresta de objetos, acontecimentos e mitos, que definem uma identidade central do País. No segundo espaço, que lhe é complementar, são apresentadas exposições temporárias que permitem aprofundar temáticas e coleções específicas.

   Fonte: TCP|AC e GRPG|CML
27-05-2018
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
De que matéria se faz esta cidade?
Jorge Mangorrinha
A Guida fugiu com um rapazola ou o pé da Luizinha Carneiro
Fleming de Oliveira
Peso das mochilas não provoca escoliose
Dr. Nuno Neves
Explosão tecnológica abre a porta à inteligência artificial
Joaquim Vitorino
Não se esforce em demasia: dores nos pés podem ser sinal de fasceíte plantar
Drª Fátima Carvalho
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o