Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Leiria tem condições para ser Capital Europeia da Cultura?
Sim
Não
Não sei / talvez
Edição Nº 84 Director: Mário Lopes Quarta, 3 de Outubro de 2007
Opinião
A nova cruz alta de Fátima

     


D. Serafim Ferreira e Silva

Decido falar da nova cruz alta do Santuário de Fátima… Já a podemos admirar ao lado da igreja da Santíssima Trindade. A que lá estava desde 1951 foi oferecida, e bem, para o Santuário de Cristo Rei. Não se trata, pois, de regresso da mesma cruz. Mas é o mesmo sinal, agora com a figura do Redentor, que o artista Robert Schad esboçou e os artistas da minha terra natal esculpiram.

 

      Esta cruz não ficou "fora de portas" (cf. Hb. 13,12). É a chave que abre a entrada nova Jerusalém. É a árvore que comunica vida às azinheiras e aos arbustos. É o ponto de referência para rodas as celebrações no altar do mundo.

      O Santuário de Fátima forma um conjunto harmonioso de elementos novos e de sempre. Como é para todas as gentes, qualquer que seja a sua cultura ou sensibilidade, aposta mais no tradicional, em boa conjugação com a actualidade e a inspiração criativa. Haverá leituras desiguais, pois que os olhos de cada um são janelas de moradias próprias. Todas as visões e interpretações são legítimas. E confirma-se que o vulgo se conforma ou habitua e apreende melhor o significado, como aconteceu com o presépio e as imagens dos pastorinhos.

      Ouvi comentários desfavoráveis à nova cruz, com a figura de Cristo. Escrevi, de propósito (Síntese 187), uma reflexão sobre as sete maravilhas de Fátima e não deixei de inserir na lista a cruz alta.

      Todo o Santuário de Fátima (com os dois pólos da Cova da Iria e dos Valinhos) é rico em sinais, que expressam a Mensagem e falam mais alto que os discursos. Sinais de todos os tempos. Do passado histórico, como o "bailado do sol", do presente contínuo, como o tramo do muro de Berlim, e da simbologia da vida humana, como é o sinal da cruz…

      Não se trata de um símbolo exclusivo do cristianismo. Os cristãos benzem-se, organizam procissões com a cruz alçada, recebem os sacramentos em forma de cruz… e até na 6ªfeira Santa"adoram" Aquele que foi pregado na Cruz e ressuscitou.

      Não é nosso monopólio a cruz. Todas as civilizações descobriram e vivem a simbologia geométrica de duas linhas que se cruzam e apontam quatro partes que formam a totalidade do espaço geográfico e as estações lunares.

      É óbvio que para os cristãos a cruz (esteja ou não na casa ou na escola) tem um significado especial. S. Cirilo de Jerusalém dizia: "Deus abriu as suas mãos sobre a cruz para abraçar todo o mundo".

      "Tomar a sua cruz" (Mt 10,38) é assumir a vida na sua integridade. Pode parecer "loucura para os gentios" (cf. 1 Cor. 18,23) mas é sabedoria de libertação salvadora. Com ou sem a figura de Cristo (em forma anatómica de sofrimento ou de ressurreição), a cruz do cristianismo é farol (como a serpente do deserto) que chama e guia todos os peregrinos da vida. Assim prometeu Cristo: "Quando for atraído da terra, atrairei todos a mim" (Jo 12,32). E a Mãe do Salvador prometeu "Por fim o meu coração imaculado triunfará".

      É toda esta riqueza simbólica que se ergue no recinto da Cova da Iria. Os peregrinos habituaram-se a convergir para a cruz alta e daí irradiar com mais convicção e força para toda a parte, com o sinal mais, na linha de Deus. E a mesma cruz é também um grande sinal de mais Fátima para todo o mundo e todos os escaninhos de Vida.

      D. Serafim Ferreira e Silva
      Bispo emérito de Leiria-Fátima

03-10-2007
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
EDITORIAL
A escola da Calçada de Carriche
Mário Lopes
OPINIÃO
Portugal e as Migrações: “Novos e Velhos Desafios”
Henrique Tigo
O Arquitecto Eugénio dos Santos
Luís Rosa
A nova cruz alta de Fátima
D. Serafim Ferreira e Silva
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o