Google
Mantenha-se actualizado.
Subscreva a nossa RSS
Twitter Tinta Fresca
Quem foi o principal vencedor das eleições para o Parlamento Europeu?
PS
Bloco de Esquerda
PAN
Outro
Edição Nº 70 Director: Mário Lopes Sexta, 25 de Agosto de 2006
Serra de Aire e Candeeiros
Grupo “Fatias de Cá” apresenta peça “As Pegadas dos Dragões”

      
                  Cartaz
“As Pegadas dos Dragões” é o nome do espectáculo de teatro que estreou no dia 18 de Agosto, no Lugar do Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios, localizada na Serra de Aire e Candeeiros, Bairro, Ourém, produzido pela Companhia de Teatro Fatias de Cá de Tomar, com a parceria do Instituto de Conservação da Natureza, Câmara Municipal de Ourém e Pirotecnia Oleirense. A peça tem a duração de 0h45 + jantar + 0h45, sendo o preço do bilhete de 18 euros. Os espectáculos realizam-se às 18h18, estando a sua carreira marcada para os dias 25, 26 e 27 de Agosto.

             Na linha de Ursula le Guin, Tolkien ou JK Rowling, “As Pegadas dos Dragões” transporta-nos a uma realidade fantasiosa e fantástica onde os dragões convivem com os homens, a magia é quotidiana e os reis são aconselhados por homens sábios que dizem: “não faças nada por ser correcto ou ser digno de louvor ou ser nobre de fazer; não faças nada por parecer que é bom fazê-lo; faz apenas o que tiveres de fazer e que não possas deixar fazer.”

             O Fatias de Cá (criado em Tomar em 1979) tem 6 centros de produção teatral (Tomar, Barquinha, Chamusca, Constância, Coimbra e Lisboa) enquadrados pelo Fatias de Cá - Mãe. Enquanto Companhia de Teatro, desenvolve projectos de âmbito profissional e amador para o que conta com mais de 100 membros (entre permanentes, regulares e pontuais).

             A designação "Fatias de Cá" inspira-se no nome de um doce conventual (Fatias de Tomar) cuja receita pode ser considerada uma metáfora do acto teatral: batem-se as gemas de ovos demoradamente até obterem um aspecto cremoso e uniforme e vão a cozer em banho-maria numa panela especial até ficarem com a consistência do pão que se fatia e frita-se em calda de açúcar.

             A opção estética do Fatias de Cá assume três vertentes: o património, quer o construído quer o paisagístico, é entendido como um espaço teatral privilegiado tendo em conta o cenário natural que comporta; a partilha com o público de um momento de refeição é assumido como uma forma de sociabilização e de concentração no espaço-tempo convocado pelo espectáculo; o acto teatral é entendido como um momento que emocione e divirta. O Fatias de Cá usa como lema uma frase atribuída a Galileu:Não resistir a uma ideia nova nem a um vinho velho.”

             Fonte: http://www.fatiasdeca.com/ 

 

 

 

25-08-2006
« Voltar

Comentários

Nome:*
Email:*
Comentário:*

* Obrigatório
Ao comentar aceita automaticamente a
política de utilização deste portal.
Para que o seu comentário seja válido deve preencher todos os campos acima indicados como obrigatórios. O email é usado apenas para efeitos de verificação e não será exibido com o comentário. Os comentários deste portal são moderados, pelo que são sujeitos a verificação antes de serem publicados. Não serão aceites comentários de carácter insultuoso, discriminatório, racista ou spam.
Pesquisar
Ed. Anteriores
Contactos
Newsletter
 
Cartas ao Director
Blogue Tinta Fresca
Blogues
Sítios Úteis
 
OPINIÃO
O raio
Elsa Proença
O Ordenamento do Território e a Protecção da Natureza
Eugénio Sequeira
Líbano: Uma Guerra sem Solução?
Paulo Batista Santos
O 150º aniversário do nascimento de Marcelino Mesquita
Paulo Caldas
Líbano
Ricardo Miguel
 

Projecto Co-Financiado por  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associa��o de Munic�pios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informa��o